Roberta Metsola speaks during the elections for the new president of the European Parliament, in Strasbourg, eastern France on January 18, 2022. - EU lawmakers on January 18, 2022, elected centre-right Maltese politician Roberta Metsola the new head of the European Parliament, despite controversy over her anti-abortion stance. Metsola won a large majority with 458 votes to become the third woman to head the chamber after a deal between the leading political groupings. (Photo by PATRICK HERTZOG / AFP)

A maltesa Roberta Metsola, do Partido Popular Europeu (PPE), foi hoje eleita em Estrasburgo, França, presidente do Parlamento Europeu para a segunda metade da legislatura, até 2024, sucedendo no cargo ao italiano David Sassoli, falecido na semana passada.

Na votação realizada hoje de manhã, Metsola obteve 458 votos entre 616 votos expressos, superando por larga margem a maioria absoluta de que necessitava (309), anunciou o eurodeputado português Pedro Silva Pereira, que dirigiu o acto eleitoral enquanto segundo vice-presidente da assembleia.

Apesar de ter três oponentes nesta eleição – a sueca Alice Bah Kuhnke (Verdes/Aliança Livre Europeia), o polaco Kosma Zlotowski (Conservadores e Reformistas Europeus) e a espanhola Sira Rego (Grupo da Esquerda) -, a vitória de Metsola, até agora primeira vice-presidente do Parlamento Europeu, era já esperada, em função do entendimento entre as três maiores bancadas do hemiciclo, que previa que a presidência da assembleia europeia na segunda metade da legislatura coubesse a uma figura escolhida pelo PPE, de centro-direita, após o socialista Sassoli a ter assumido nos dois primeiros anos e meio.

Roberta Metsola, que cumpre hoje 43 anos, advogada, torna-se a terceira mulher a presidir ao Parlamento Europeu, e a primeira maltesa a dirigir uma instituição europeia.

ACC // SCA

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade