O Papa Francisco homenageou os “cristãos perseguidos” que ainda precisam de se esconder para participar em celebrações religiosas, no âmbito de uma missa pelos mortos, que decorreu numa das catacumbas mais antigas de Roma.

“Podemos pensar na vida destas pessoas que tiveram que se esconder para celebrar os seus mortos”, disse o líder da Igreja Católica, referindo-se a “um momento difícil da História que ainda não foi ultrapassado”.

Na missa pelos mortos, que se realizou na Catacumba de Priscila, em Roma, um cemitério que abrange 13 quilómetros de galerias subterrâneas, que remota aos primeiros séculos do cristianismo, Francisco disse que esta foi a primeira vez na vida que entrou numa catacumba, lamentando que hoje existam “tantas catacumbas noutros países, onde os cristãos devem fingir comemorar um aniversário para celebrar a Eucaristia, que é proibida para eles”.

“Ainda hoje, há cristãos perseguidos, mais do que nos primeiros séculos”, afirmou o Papa, indicando que, em muitos países, “ser cristão é um crime, é proibido, não é um direito”.

No ano passado, o Papa Francisco visitou um cemitério em Roma, onde parou por muito tempo em frente aos túmulos de crianças que morreram prematuramente ou à nascença.

Em 2017, o líder da Igreja Católica celebrou uma missa pelos mortos num cemitério militar americano na Itália, associado à Segunda Guerra Mundial, onde dedicou os seus pensamentos aos “jovens” soldados que combatem no mundo.

No caminho de regresso, Francisco parou também no Mausoleo delle Fosse Ardeatine, no sul de Roma, onde 335 civis, incluindo 75 judeus, foram executados pelos nazis, em 1944, em retaliação por um ataque no qual 33 soldados alemães foram mortos por combatentes italianos da resistência.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões ou sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade

Todas as notícias e conteúdos no LUX24 são e continuarão a ser disponibilizadas gratuitamente, mas nunca como agora precisamos da sua ajuda para continuar a prestar o nosso serviço público.

Somos uma asbl – associação sem fins lucrativos – e não temos qualquer apoio estatal ou institucional, apesar do serviço público que diariamente fazemos em prol da comunidade portuguesa e lusófona residente no Luxemburgo, e já sentimos o efeito da redução da publicidade, que nos garante a manutenção do nosso jornal online.

A imprensa livre não existe nem sobrevive, sem o suporte activo dos seus leitores – sobretudo em épocas como esta, quando as receitas de publicidade se reduziram abruptamente, e nós continuamos a trabalhar a 100%.

Só lhe pedimos que esteja connosco nesta hora e nos possa ajudar com o seu donativo, seja ele de que valor for. Prometemos que continuaremos a ser a sua companhia de todas as horas.

Pode fazer o seu donativo por transferência bancária para a conta do LUX24:
IBAN: LU790250045896982000
Código BIC: BMECLULL

LUX24 asbl
#VaiFicarTudoBem

Publicidade