Um grupo de deputados do Parlamento Europeu, entre eles cinco portugueses, subscreveram uma carta ao presidente da UEFA para que tome medidas urgentes contra o racismo e a discriminação.

Os deputados portugueses subscritores da missiva são por Margarida Marques, Marisa Matias, Álvaro Amaro, Isabel Carvalhais e José Gusmão.

“Estamos chocados com os incidentes racistas e discriminatórios que ocorreram na semana passada em várias ligas de futebol e em jogos internacionais (…). Escrevemos-lhe como membros do Parlamento Europeu para que a UEFA tome ações urgentes contra o racismo e a discriminação. Acreditamos que ninguém na comunidade do futebol tenha de tolerar discriminações de qualquer natureza”, pode ler-se na carta endereçada ao esloveno Aleksander Ceferin, presidente da UEFA.

O grupo de deputados europeus, numa carta também assinada por Margarida Marques, Marisa Matias, Álvaro Amaro, Isabel Carvalhais e José Gusmão, elogia a ação do dirigente neste domínio, mas entende que são necessárias mais ações.

“Acompanhamos a sua liderança e a condenação imediata do racismo e da discriminação tal como as medidas inseridas no protocolo que fornecem aos árbitros e aos jogadores orientações de como devem agir em casos de racismo e discriminação. Contudo, acreditamos que são necessárias outras medidas”, acrescentam.

Desde logo, assegurar que o protocolo “é devidamente cumprido pelos árbitros, incluindo o encaminhamento dos jogadores para os balneários e a suspensão do jogo, acabar com as sanções simbólicas, impondo outras mais pesadas em casos repetidos de racismo e discriminação nos estádios, incluindo a expulsão de clubes e países das competições”.

Por outro lado, os deputados subscritores da carta apelam ao “incremento do investimento e do apoio para iniciativas educacionais” contra o racismo e a discriminação, considerando “ser imperativo de todos a luta contra a intolerância” e exigindo “mais ações para a combater”.

“Temos de garantir que todos as autoridades do futebol e os adeptos tenham a noção das consequências dos seus atos”, pode ainda ler-se na missiva, na qual os deputados europeus fazem saber a Aleksander Ceferin que esperam uma resposta à carta e conhecer as ações que irá tomar doravante para combater o fenómeno.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões ou sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade

Todas as notícias e conteúdos no LUX24 são e continuarão a ser disponibilizadas gratuitamente, mas nunca como agora precisamos da sua ajuda para continuar a prestar o nosso serviço público.

Somos uma asbl – associação sem fins lucrativos – e não temos qualquer apoio estatal ou institucional, apesar do serviço público que diariamente fazemos em prol da comunidade portuguesa e lusófona residente no Luxemburgo, e já sentimos o efeito da redução da publicidade, que nos garante a manutenção do nosso jornal online.

A imprensa livre não existe nem sobrevive, sem o suporte activo dos seus leitores – sobretudo em épocas como esta, quando as receitas de publicidade se reduziram abruptamente, e nós continuamos a trabalhar a 100%.

Só lhe pedimos que esteja connosco nesta hora e nos possa ajudar com o seu donativo, seja ele de que valor for. Prometemos que continuaremos a ser a sua companhia de todas as horas.

Pode fazer o seu donativo por transferência bancária para a conta do LUX24:
IBAN: LU790250045896982000
Código BIC: BMECLULL

LUX24 asbl
#VaiFicarTudoBem

Publicidade