Ursula von der Leyen, Presidente da Comissão Europeia - FOTO DR / © Todos os Direitos de Autor Reservados
Ursula von der Leyen, Presidente da Comissão Europeia – FOTO DR / © Todos os Direitos de Autor Reservados

A presidente da Comissão Europeia defendeu hoje, durante o discurso do Estado da União, em Bruxelas, que a crise da pandemia da covid-19 deixou claro que chegou o momento de construir uma União da Saúde Europeia reforçada.

Discursando no Parlamento Europeu, Ursula von der Leyen apontou que, para tornar essa nova política de saúde europeia reforçada uma realidade, o primeiro passo proposto pelo seu executivo é “reforçar e dar mais poder à Agência Europeia do Medicamento e ao Centro Europeu de Controlo e Prevenção de Doenças”.

“Como segundo passo, vamos construir uma BARDA europeia, uma agência para investigação avançada no campo da biomedicina”, disse, referindo-se à autoridade norte-americana nesta matéria, com o objetivo de “apoiar e reforçar a capacidade e prontidão” da UE para responder a ameaças e emergências transfronteiriças.

Segundo Von der Leyen, a crise da covid-19 tornou também evidente que a Europa precisa de “constituir reservas estratégicas para lidar com as dependências da cadeia de abastecimento, nomeadamente para os produtos farmacêuticos”.

“E como terceiro passo, é claro como nunca que devemos discutir a questão das competências médicas. E penso que é uma tarefa urgente, e deve ser abordada na conferência sobre o Futuro da Europa”, prosseguiu, referindo-se ao facto de a pandemia da covid-19 também ter mostrado que Bruxelas tem poderes muito limitados em questões de saúde, uma competência quase exclusiva dos Estados-membros.

Por fim, a presidente da Comissão Europeia afirmou que, atendendo a que esta é uma crise global, “é necessário retirar as lições globais”, anunciando que, em conjunto com o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, e com a presidência italiana do G20 no próximo ano, planeia organizar uma “cimeira global da saúde” em 2021 em Itália.

É momento de Europa passar de fragilidade a nova vitalidade – Von der Leyen

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, defendeu, no seu primeiro discurso sobre o Estado da União, que é momento de a Europa “passar da fragilidade para uma nova vitalidade”, após os impactos da pandemia de covid-19.

“É momento de a Europa liderar este caminho, passando da fragilidade para uma nova vitalidade e é sobre isso que gostaria de vos falar hoje”, afirmou Ursula von der Leyen, no início da sua intervenção sobre o Estado da União no Parlamento Europeu, em Bruxelas.

“Digo isto porque nos últimos meses descobrimos os valores que temos em comum. […] Mostrámos o que é possível quando confiamos uns nos outros e nas instituições europeias”, acrescentou a responsável.

Numa altura em que a Europa ainda está a enfrentar consequências sanitárias e económicas do novo surto coronavírus, Ursula von der Leyen sublinhou que a estratégia comunitária tem sido a de “não só recuperar e reparar agora, mas também partilhar e formar um mundo melhor para o mundo de amanhã”.

“Esta é a nova geração Europa, é a nossa oportunidade de fazer com que as coisas aconteçam, não só por imposição ou catástrofe, mas criando oportunidades para o dia de amanhã”, adiantou.

“Temos visão, temos planos, temos investimento. Chegou a altura de pôr as mãos à obra”.

Ursula von der Leyen começou o discurso prestado homenagem aos serviços de saúde, que fizeram “milagres” perante um “vírus mil vezes mais pequeno que um grão de areia, que mostrou a fragilidade planetária”.

O Parlamento Europeu é hoje palco do discurso sobre o Estado da União, o primeiro proferido pela presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e o primeiro realizado em Bruxelas, devido à covid-19, o tema incontornável este ano.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade