Cientistas detectaram pela primeira vez vapor de água na atmosfera de um planeta fora do Sistema Solar que está na “zona habitável”, a uma distância da sua estrela que lhe permite ter à superfície água líquida.

O planeta orbita uma estrela anã vermelha, a K2-18, que está a 110 anos-luz da Terra, na constelação Leão, sendo considerado uma “superterra” porque as dimensões da sua massa variam entre as da Terra e Neptuno, o último planeta do Sistema Solar.

Para detectar a assinatura de vapor de água na atmosfera no planeta extrassolar em causa, o K2-18b, uma equipa de cientistas da University College London, no Reino Unido, estudou dados de observações feitas em 2016 e 2017 com o telescópio espacial Hubble, operado pelas agências espaciais norte-americana (NASA) e europeia (ESA).

Além disso, a equipa desenvolveu algoritmos para analisar o espectro de luz da anã vermelha filtrado pela atmosfera do planeta, descoberto em 2015.

Os resultados do trabalho, publicados esta quarta-feira na revista da especialidade Nature Astronomy, revelaram a assinatura molecular de vapor de água, mas também de hidrogénio e hélio, os elementos químicos mais abundantes no Universo, na atmosfera do exoplaneta K2-18b, indica a ESA em comunicado.

Novos estudos terão de ser feitos para estimar a percentagem de água, sob a forma de vapor, na atmosfera do K2-18b.

Apesar de estar na “zona habitável” da sua estrela, o planeta pode ser mais hostil do que a Terra e estar mais exposto a radiação devido à intensa atividade da anã vermelha, uma estrela mais pequena e fria do que o Sol.

Para um dos coautores da investigação, Ingo Waldmann, citado no comunicado da ESA, a descoberta é promissora, uma vez que “superterras” como a K2-18b – que tem condições para albergar à superfície água líquida, essencial para a vida tal como se conhece – “são os planetas mais comuns na Via Láctea” e as anãs vermelhas “as estrelas mais comuns”.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões ou sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade

Todas as notícias e conteúdos no LUX24 são e continuarão a ser disponibilizadas gratuitamente, mas nunca como agora precisamos da sua ajuda para continuar a prestar o nosso serviço público.

Somos uma asbl – associação sem fins lucrativos – e não temos qualquer apoio estatal ou institucional, apesar do serviço público que diariamente fazemos em prol da comunidade portuguesa e lusófona residente no Luxemburgo, e já sentimos o efeito da redução da publicidade, que nos garante a manutenção do nosso jornal online.

A imprensa livre não existe nem sobrevive, sem o suporte activo dos seus leitores – sobretudo em épocas como esta, quando as receitas de publicidade se reduziram abruptamente, e nós continuamos a trabalhar a 100%.

Só lhe pedimos que esteja connosco nesta hora e nos possa ajudar com o seu donativo, seja ele de que valor for. Prometemos que continuaremos a ser a sua companhia de todas as horas.

Pode fazer donativo via PayPal, ou então uma transferência bancária para:
IBAN: LU79 0250 0458 9698 2000
Código BIC: BMEC LU LL

LUX24 asbl
#VaiFicarTudoBem

Publicidade