O Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa após a votação para as eleições legislativas em Celorico de Basto, 06 de outubro de 2019. Mais de 10,8 milhões de eleitores recenseados no território nacional e no estrangeiro são hoje chamados às urnas para elegerem os 230 deputados para a próxima legislatura e de onde sairá o XXII Governo Constitucional. HUGO DELGADO / LUSA
O Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa. FOTO: HUGO DELGADO / LUSA

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condicionou a sua recandidatura a Belém ao seu estado de saúde, numa entrevista à SIC na qual admitiu sofrer de problemas cardíacos.

“Terei de fazer daqui a umas semanas um cateterismo”, assumiu o chefe de Estado numa entrevista ao programa da SIC Alta Definição, de Daniel Oliveira, referindo existir na sua família um histórico de problemas cardíacos.

Um excerto do programa, que vai ser transmitido no sábado, foi hoje exibido no Jornal da Noite.

Marcelo Rebelo de Sousa disse que, se decidir recandidatar-se, tenciona manter o “estilo de Presidência”, que é “de proximidade”, e, por isso, terá de estar em boas condições de saúde.

“Se for reeleito, não vou fechar-me no palácio, deixar-me ir, para me preservar, para não me expor”, salientou, reconhecendo de seguida: “O resultado das eleições legislativas não criou nenhum fator, no meu espírito, perturbador de uma recandidatura”.

O Presidente admitiu também que, em termos de percentagem, está hoje mais próximo da recandidatura do que do inverso.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade