[ARQUIVO] Sismólogos do Instituto de Ciências da Terra, do Instituto Dom Luiz e do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa, instalam estação sísmica na Fajã dos Vimes, Concelho da Calheta, São Jorge, Açores, 25 de março de 2022. ANTÓNIO ARAÚJO/LUSA

O presidente do Governo dos Açores confirmou hoje que o Presidente da República desloca-se no domingo à ilha de São Jorge, onde se regista uma crise sísmica desde 19 de março.

Após o briefing diário das autoridades regionais e locais, José Manuel Bolieiro adiantou que Marcelo Rebelo de Sousa deverá chegar à ilha do Grupo Central dos Açores por volta das 15:30 locais (17:30 no Luxemburgo), “para dar sinal claro da proximidade e da solidariedade”.

Na sexta-feira, o Presidente da República disse que estava a acompanhar a crise sismovulcânica na ilha açoriana de São Jorge, onde pensava deslocar-se brevemente, considerando que “não há razão para insegurança”.

“Quando falei com ele [presidente do Governo Regional] hoje, ainda estava em São Jorge e eu penso muito brevemente ir a São Jorge também”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, aos jornalistas, em Fátima.

O chefe de Estado referiu que, “no imediato, entendem os especialistas que não há questões para alarmes da parte da população”.

Cerca de 12.700 sismos registados em São Jorge desde o início da crise

Cerca de 12.700 sismos foram registados na ilha de São Jorge, no âmbito da crise que se iniciou a 19 de março, mais do dobro de todos os sismos registados no arquipélago em 2021.

A informação foi avançada hoje pelo presidente do Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA), após o briefing diário das autoridades regionais e locais, que decorreu na vila das Velas.

Agravamento do estado do tempo em Velas, ilha de São Jorge, Açores, 25 de março de 2022. ANTÓNIO ARAÚJO/LUSA

“Neste momento, só para o sistema fissural de Manadas, onde está a acontecer esta crise sísmica há cerca de sete dias, temos mais do dobro do que aqueles que foram registados em toda a região autónoma dos Açores em 2021”, afirmou Rui Marques.

Segundo disse, está a verificar-se actualmente uma “diminuição da energia libertada e, como tal, a magnitude média tem vindo a diminuir”, o que faz com as pessoas estejam a sentir menos sismicidade.

“Neste momento, passamos os 12.700 sismos já registados, dos quais 187 foram sentidos pela população e só três desde a meia-noite de hoje”, afirmou Rui Marques, ao avançar que a frequência dos sismos mantém-se “extremamente acima dos valores normais para os Açores” e que continua a vigorar o aleta vulcânico V4, (de um total de cinco), o que significa “possibilidade real de erupção”.

A crise sismovulcânica em São Jorge iniciou-se às 16:05 de dia 19, tendo o sismo mais energético ocorrido nesse mesmo dia às 18:41 com uma magnitude de 3,3, na escala de Richter, mas provocar danos.

Segundo os dados provisórios dos Censos 2021, a ilha de São Jorge tem 8.373 habitantes, dos quais 4.936 no concelho das Velas e 3.437 no concelho da Calheta.

ND com Lusa

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco via email para geral@lux24.lu.
Siga o LUX24 nas redes sociais. Use a #LUX24 nas suas publicações.
Faça download gratuito da nossa ‘app’ na Google Play ou na App Store.
Publicidade
Publicidade