A directora-geral dos Estabelecimentos Escolares, Manuela Faria, 61 anos, licenciada em Direito, foi nomeada para presidente ao Conselho Directivo do Instituto de Protecção e Assistência na Doença (ADSE), lê-se no Diário da República.

No despacho conjunto dos ministérios das Finanças e da Administração Pública (n.º 6134-B/2020), publicado em Diário da República na sexta-feira, pode ler-se que foi determinado que Maria Manuela Pinto Soares Pastor Fernandes Arraios Faria foi nomeada para o cargo de “presidente do conselho directivo do Instituto de Protecção e Assistência na Doença, I. P. (ADSE, I. P.)”.

O documento refere que os actuais mandatos de presidente e vogal da ADSE – subsistema de saúde dos funcionários públicos -, cessaram a 16 de março de 2020 e que os novos titulares foram nomeados para o “mandato 2020-2023”.

Manuela Faria, licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, mestre em Ciências da Educação pela Universidade Católica de Lisboa e pós-graduada em Direito Administrativo pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, deixa o cargo de directora-geral dos Estabelecimentos Escolares, função que exercia desde 01 de julho de 2018, para passar a ser a líder do subsistema de saúde dos funcionários públicos portugueses.

Manuela Faria foi sub-directora-geral dos Estabelecimentos Escolares desde 2014 e directora dos Serviços de Assuntos Jurídicos e Contencioso da Direção-Geral da Administração Escolar entre 2011 e outubro de 2014.

Para o cargo de vogal do conselho directivo da ADSE foi nomeada Maria Eugénia Melo de Almeida Pires, 69 anos, licenciada em Economia pelo Instituto Superior de Economia da Universidade de Lisboa, cargo que já exercia desde julho de 2018 até à presente data.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões ou sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade

Todas as notícias e conteúdos no LUX24 são e continuarão a ser disponibilizadas gratuitamente, mas nunca como agora precisamos da sua ajuda para continuar a prestar o nosso serviço público.

Somos uma asbl – associação sem fins lucrativos – e não temos qualquer apoio estatal ou institucional, apesar do serviço público que diariamente fazemos em prol da comunidade portuguesa e lusófona residente no Luxemburgo, e já sentimos o efeito da redução da publicidade, que nos garante a manutenção do nosso jornal online.

A imprensa livre não existe nem sobrevive, sem o suporte activo dos seus leitores – sobretudo em épocas como esta, quando as receitas de publicidade se reduziram abruptamente, e nós continuamos a trabalhar a 100%.

Só lhe pedimos que esteja connosco nesta hora e nos possa ajudar com o seu donativo, seja ele de que valor for. Prometemos que continuaremos a ser a sua companhia de todas as horas.

Pode fazer o seu donativo por transferência bancária para a conta do LUX24:
IBAN: LU790250045896982000
Código BIC: BMECLULL

LUX24 asbl
#VaiFicarTudoBem

Publicidade