Silvina Queiroz, professora, escreve semanalmente no LUX24.

Adoro Miguel Torga, a sua sensibilidade perante o que parece mais despojado, mais simples, mais “calado” no coração. O título desta singela peça é o título de um dos mais belos poemas de Torga.

A criança, confessa para si própria, que sabe um segredo: conhece o local escondido de um pequeno ninho e oculta o segredo para que nenhum perigo possa  ameaçar aquele ovo redondinho que em breve eclodirá e se transformará num seu amigo chegado, alegre e saltitão que lhe alegrará os dias fazendo o pino a voar.

Imaginemos o encantamento do menino, dono do segredo mais importante do Mundo e que ele protege de qualquer ameaça. Sinto-lhe a emoção, o bate-bate acelerado do seu coração infantil, puro e repleto de sonhos.

E, coisa também ela maravilhosa, embrulhada em milagre: Não é que sinto em mim toda a emoção do menino segredeiro? Porque tenho comigo um segredo igualmente escondido e agasalhado no meu coração, já maduro mas ainda tão pueril. Quando eu decidir, o milagre “nascerá”.

E a minha capacidade de esquecer tudo o que é feio, o que pode magoar, o que pode fazer perigar o meu sossego interior e escurecer a luz do meu querer, desaparecerá! A minha vontade, como a Fénix, renascerá das cinzas, lançando-me de cabeça na esperança que é certeza de um sonho cada dia mais apurado, cada vez mais forte, cada dia mais capaz de encontrar caminhos que se farão caminhando, como é sua obrigação.

Quem está triste?!Eu não! Sabem porquê? Porque sei um ninho e até partilharei esse segredo com  quem provar merecer ter fatia dessa maravilha.

Deixo a todos um grande abraço e se, por acaso, alguém confundi, não foi esse o meu propósito. Muito pelo contrário.

Todos, de modo mais ou menos claro, havemos de saber um ninho e chegará o dia em que do ovinho redondo sairá o nosso amiguinho para nos animar com seu canto e nos divertir com seus atléticos pinos nas nuvens.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade