Rui Martins, activista e dirigente associativo, escreve semanalmente no LUX24.

Depois de um texto publicado pelo meu amigo Luís Osório e onde ele escreveu a dado ponto que “Já tive esta conversa com muitas pessoas, de direita e de esquerda. E não fui ou sou acompanhado por ninguém” passei para escrito algumas ideias que me acompanham há bastante tempo e que, precisamente, me fazem acompanhar o seu pensamento…

Acredito que para que exista uma maior clareza e transparência eleitorais e mesmo sem que exista a necessidade imperativa de uma alteração legislativa (tão ao custo da costela romana dos portugueses) acredito que todos os partidos que se apresentam a eleições deveriam cumprir dois requisitos:

1. Todos os partidos deveriam indicar – a priori – se estão dispostos ou não fazerem coligações pós-eleitorais e se, as fizerem, devem submetê-las a primárias fechadas.

2. Todos os ministros de um futuro governo devem ter sido eleitos deputados.

3. Todos os candidatos a deputados devem passar por um processo de aceitação por parte dos militantes dos distritos que representam: seja ela primárias abertas ou fechadas, com ou sem voto preferencial para ordenação na lista ou um conjunto de assembleias de militantes em que se apresentem a cada secção de residência no distrito a quem concorrem.

4. Todos os partidos que se apresentam a eleições devem apresentar os ministros que irão levar ao Governo (sendo que, de acordo com 2, estes devem ser deputados eleitos para o Parlamento, ou seja, cabeças de lista distritais).

Não ignoro que, nas Legislativas, votamos em deputados para a Assembleia da República e não em ministros ou, sequer, no primeiro-ministro (apesar disso não ser evidente na forma altamente fulanizada com que hoje se fazem as campanhas eleitorais) e há que elogiar a existência de ministros no 24º Governo que foram eleitos para o Parlamento.

Mas acredito – como Luís Osório – que é preciso ir ainda mais longe e que é preciso que no momento da votação os eleitores saibam exactamente quem vai ocupar que pasta, eventualmente, com uma lista de substitutos em caso de indisponibilidade súbita.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco via email para geral@lux24.lu.
Siga o LUX24 nas redes sociais. Use a #LUX24 nas suas publicações.
Faça download gratuito da nossa ‘app’ na Google Play ou na App Store.
Publicidade
Publicidade