ESSE OLHAR É TODO MEU

Vejo o caminhar lento dos rios
que desaguam no mar…
Começam os dias frios
e é fria a luz do luar…

É quando acordo sem mim
sem noção de caminhar…
Corro tudo à minha procura,
não me consigo encontrar…

Depois de muita procura
de procurar sem cessar…
Encontro-me no mesmo sítio,
sempre no mesmo lugar…

Virada para o infinito…
De olhos postos no céu,
de olhos postos no mar,
esse olhar é todo meu…

É que o mar sou toda eu…
E toda eu sou o mar…
Entra-me pelos olhos dentro,
e sai-me em cada olhar…

AUTORIA: ISABEL TAVARES
(© Todos os Direitos de Autor Reservados)
Código do Direito de Autor e dos Direitos Conexos – Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de março – Diário da República n.º 61, Série I, de 14.03.1985 –

Isabel Tavares, poetisa, escreve semanalmente, às segundas, no LUX24.
Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade
Publicidade