Isabel Tavares, poetisa, escreve semanalmente, às segundas, no LUX24.

Aos que nos deixaram… 

Na viagem que é esta vida, da nascença à partida
aquilo que nos distingue, que fica depois de nós
é todo o amor que demos, tudo aquilo que semeámos,
que deixámos por lembrança…
Depois que o tempo passar, aquilo que vai ficar
é se espalhámos esperança…

A Luz que nos animou, tudo aquilo que pairou
e entrou no coração… das pessoas!
Coisas más, ou coisas boas… Se fizemos a diferença
fica a marca da presença, a saudade dolorosa,
todo o perfume da rosa… Fica nas recordações…

Este é um tempo de saudade, tempo de recolhimento…
Da partida que nos feriu… Com um golpe tão certeiro!
O nosso amor derradeiro, na forma de um pensamento,
de uma Luz que nos inunda… Que aparece na penumbra…
E tem o sopro do vento…

Nada volta a ser igual, nesta dor que nos feriu…
Ao lembrarmos quem partiu… Soltam-se lágrimas de dor,
que turvam o nosso olhar…

Essas lágrimas sentidas… Acompanham nossas vidas,
moram connosco em casa… Vão para onde nós vamos,
riem –se quando nós nos rimos…
E choram a par connosco… São lágrimas do nosso rosto…

AUTORIA: ISABEL TAVARES 30-10-2019
(© Todos os Direitos de Autor Reservados)
Código do Direito de Autor e dos Direitos Conexos – Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de março – Diário da República n.º 61, Série I, de 14.03.1985

Publicidade