Rita Limede, psicóloga e produtora de eventos musicais, escreve semanalmente aos sábados no LUX24.

O mundo da psicologia está cheio de frases feitas e de clichés. Tanto que, uma das primeiras coisas que como futuros psicólogos aprendemos no início da nossa formação é a diferença entre o que é ciência e senso comum. O que são práticas psicológicas baseadas em evidências e o que são ideias populares do senso comum – muitas das quais baseadas em mitos.

As redes sociais são atualmente o maio difusor de informação. Informação essa, que nem sempre é verdadeira ou baseada em evidências. Assim como temos órgãos que noticiam fake news, também temos páginas de “auto-ajuda” e com frases “motivacionais” que são amplamente partilhadas sem terem um fundo de verdade ou de consistência científica. Muitas das citações e frases não passam de afirmações passivo-agressivas ou que perpetuam e validam comportamentos tóxicos relativamente a nós próprios ou à nossa relação com os outros.

Uma das ideias mais comuns passada por estas frases é a de que “o melhor psicólogo que existe ainda é uma conversa com os amigos”. Embora o contacto social com as pessoas que nos são queridas ou até mesmo o acto de desabafar com um amigo em tempos mais difíceis seja uma ajuda, nunca em cenário algum pode ser comparado com um processo de psicoterapia.

A ida a uma consulta de psicologia é uma coisa séria e a uma ferramenta de extrema importância para a manutenção e/ou tratamento da nossa saúde mental. O processo de psicoterapia é muito mais que a escuta activa e interessada dos desabafos da outra pessoa à nossa frente, e quando feito de forma errada poderá causar ainda mais danos que os que existiam inicialmente.

Da mesma forma que vamos falar com um médico quando temos problemas de saúde física e tendemos a procurar a especialidade da medicina que mais se adequa à génese da nossa maleita, o mesmo devia ser feito quando o nosso problema cai no foro da saúde mental.

Há maus profissionais em todas as áreas sim, e a psicologia não é exceção. No entanto, ao estarmos a deixar propagar a ideia errada de que a psicoterapia é apenas dar conselhos e ouvir os desabafos dos amigos, estamos a destruir e a debilitar a profissão e todos os profissionais.

Assim, torna-se evidente que é urgente promover as boas práticas na saúde mental, bem como desmistificar e acabar de vez com ideias erradas como a de que “todos nós somos um pouco psicólogos” quando isso está muito longe da verdade.

A profissão de psicólogo envolve muitos anos de estudos e formações, bem como uma grande exigência e honestidade intelectual por parte de quem a exerce, de forma a que o resultado seja o de efectivamente ajudar quem nos procura e não prejudicar e piorar os problemas.

Publicidade