Andreia Gouveia, conselheira de comunicação, escreve semanalmente às quintas no LUX24.

Nestes estranhos tempos que vivemos, a bondade parece escassear. Talvez porque, como sublinha alguém que conheço, amiúde, não existe na Natureza, pelo menos como tal – apenas como estratégia de sobrevivência, em alguns cenários e durante um período de tempo.

Cinismo crónico ou realismo decepcionante à parte, a verdade é que cada vez mais me deparo com gestos de brusquidão, impaciência, intolerância e eu diria até que uma crescente vontade de confronto.

Nas redes sociais, em especial no Facebook, as pessoas – mesmo as mais educadas, cultas e/ou formadas – já não se satisfazem com a proclamação das suas crenças, não, parecem precisar de o fazer de forma a provocar e mesmo ofender quem posso delas discordar.

É pela adrenalina? Juro que não entendo. Comigo, é certo, a coisa não funciona: às vezes até começo a ensaiar uma resposta mas depois respiro fundo, apago e continuo a minha vida. Uma ou outra vez a coisa foi de molde a remover a amizade facebookiana, mesmo que a real continue.

Simplesmente escolho não ver uma pessoa de quem gosto a comportar-se de forma que me desagrada mas respeito o seu direito a não caber inteiramente na minha bitola de comportamento social e, claro, respeito a sua liberdade de expressão – e a minha de não ter de a suportar quando não concordo, não com o que diz mas com a forma que escolhe para o dizer.

Continuo a acreditar mais em pontes do que em muros mas, com a idade, aprendi a não perder tempo a tentar construir uma ligação com quem já levantou alta muralha. Esta é a minha receita para manter a serenidade nas redes sociais, porque preciso dela na vida fora delas e, felizmente, tenho uma.

Mas não demonizo as redes sociais, por mais perigos que lhes continuem a descobrir. Esta semana a receita para ter sorriso foi mesmo uma receita, partilhada no Facebook.

Uma jovem mulher perguntou, num grupo de troca de truques domésticos, se alguém saberia uma receita antiga, de um bolo que a avó lhe preparava em criança: tinha perdido a receita que a matriarca lhe confiara e estava visivelmente desolada.

Dava um ou dois pormenores sobre o bolo mas via-se que este pedido era, mais do que desesperado, desesperançado.

Uma última e patética tentativa de reaver um fragmento do seu passado, um sabor, um cheiro dos tempos mais despreocupados e felizes da sua infância.

E foi então que, no meio de muitos comentários, surgiu, numa imagem, a fotografia de uma receita escrita à mão, provavelmente como a que esta jovem perdera. E era a mesma receita, a neta antes desconsolada não teve dúvidas e estava… feliz.

Feliz. Como se tivesse encontrado a aliança de casamento, perdida pelo ralo da banheira, durante um passeio na praia.

Quais são as probabilidades? Mas uma aliança ainda se pode substituir, uma recordação de família, que se quer continuar a passar aos nossos, é mais difícil.

E assim, com uma imagem, num grupo do facebook onde se fala de decapantes e azulejos, uma mulher mais velha ofereceu a uma mulher mais jovem uma prenda sem preço e, precisamente por isso, com incomensurável valor.

Tão simples, tão bom.

O mundo precisa de receitas assim.

Bom proveito.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões ou sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade

Todas as notícias e conteúdos no LUX24 são e continuarão a ser disponibilizadas gratuitamente, mas nunca como agora precisamos da sua ajuda para continuar a prestar o nosso serviço público.

Somos uma asbl – associação sem fins lucrativos – e não temos qualquer apoio estatal ou institucional, apesar do serviço público que diariamente fazemos em prol da comunidade portuguesa e lusófona residente no Luxemburgo, e já sentimos o efeito da redução da publicidade, que nos garante a manutenção do nosso jornal online.

A imprensa livre não existe nem sobrevive, sem o suporte activo dos seus leitores – sobretudo em épocas como esta, quando as receitas de publicidade se reduziram abruptamente, e nós continuamos a trabalhar a 100%.

Só lhe pedimos que esteja connosco nesta hora e nos possa ajudar com o seu donativo, seja ele de que valor for. Prometemos que continuaremos a ser a sua companhia de todas as horas.

Pode fazer o seu donativo por transferência bancária para a conta do LUX24:
IBAN: LU790250045896982000
Código BIC: BMECLULL

LUX24 asbl
#VaiFicarTudoBem

Publicidade