Miguel Silva, psicólogo, escreve semanalmente às terças no LUX24

A palavra altruísmo proveniente do latim (alteri) está relacionada com a noção de «outros». Este conceito foi introduzido pelo filósofo e sociólogo francês Auguste Comte (1831). O termo altruísmo, por vezes, é designado por comportamento pró-social para referir o princípio e a prática de se preocupar e agir de modo a promover o bem-estar dos outros, sem se preocupar com o seu próprio interesse.

Esta ideia de que uma pessoa altruísta, na verdadeira aceção da palavra, deve se preocupar e agir de modo a promover o bem-estar dos outros sem se preocupar com o seu próprio interesse tem despertado uma certa polémica nas demais correntes teóricas da psicologia. Isto porque, evidências científicas defendem que o autêntico altruísmo, no sentido acima indicado, não existe, estando sempre presente um interesse próprio subtil (Baptista & Neto, 2019).

Então, por exemplo, do ponto de vista da psicologia evolutiva, a investigação mostra ser mais comum a presença do altruísmo em membros da mesma família do que em relação a sujeitos estranhos, pois, pode ter por objetivo aumentar as probabilidades de sobrevivência e reprodução por parte destes (Buller, 2005). Portanto, estamos perante um benefício evolutivo para o próprio, que partilha com os membros da família uma certa proporção de genes.

Na perspetiva de Baravalle (2014), outros benefícios possíveis relativamente ao altruísmo são, por exemplo, a saber:
• A expetativa de reciprocidade quer para o comportamento realizado quer de uma forma vaga e difusa num possível futuro;
• Os ganhos de aprovação e prestígio social, devido ao altruísmo em si ou da demonstração de possuir recursos, a ponto de os desperdiçar em benefício desinteressado de outros;
• A expetativa de promover o aumento de comportamentos altruístas e a noção de reciprocidade face a um grupo especifico ou a nível geral (e.g., a humanidade no seu todo).

Assim, é importante clarificar que as bases motivacionais do comportamento altruísta são maioritariamente não-imediatistas, exigindo uma construção mental que requer um nível relativamente elevado de desenvolvimento psicológico. Mais ainda, nos últimos tempos temos constatado que o comportamento altruísta tende a aumentar com a idade entre as crianças.

Na sombra do altruísmo vive o seu antónimo, o egoísmo. Uma postura egoísta surge, por exemplo, quando um indivíduo, ou um grupo, focam-se estritamente nos seus próprios interesses e colocam de parte o bem-estar dos outros.

Nos últimos dias verificou-se um aumento de notícias sobre incumprimento das regras impostas à pandemia covid-19 (e.g., não cumprimento do horário de fecho em certos estabelecimentos; ausência do uso da máscara em certas circunstâncias e festas não autorizadas).

Face a este fenómeno de incumprimento, é importante referir que a reciprocidade assume um papel de extrema importância nos comportamentos altruístas.

A psicologia realça o carácter adaptativo do altruísmo sobretudo quando se baseia na expetativa de uma eventual reciprocidade, inespecífica e a longo prazo, e quando inclui uma motivação para sancionar os transgressores à norma de reciprocidade, mesmo que isso acarrete custos para o punidor.

Por isso, caro leitor, afaste-se da sombra do altruísmo e esteja sempre atento aos seus pensamentos, às suas emoções e aos seus comportamentos.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões ou sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade

Todas as notícias e conteúdos no LUX24 são e continuarão a ser disponibilizadas gratuitamente, mas nunca como agora precisamos da sua ajuda para continuar a prestar o nosso serviço público.

Somos uma asbl – associação sem fins lucrativos – e não temos qualquer apoio estatal ou institucional, apesar do serviço público que diariamente fazemos em prol da comunidade portuguesa e lusófona residente no Luxemburgo, e já sentimos o efeito da redução da publicidade, que nos garante a manutenção do nosso jornal online.

A imprensa livre não existe nem sobrevive, sem o suporte activo dos seus leitores – sobretudo em épocas como esta, quando as receitas de publicidade se reduziram abruptamente, e nós continuamos a trabalhar a 100%.

Só lhe pedimos que esteja connosco nesta hora e nos possa ajudar com o seu donativo, seja ele de que valor for. Prometemos que continuaremos a ser a sua companhia de todas as horas.

Pode fazer o seu donativo por transferência bancária para a conta do LUX24:
IBAN: LU790250045896982000
Código BIC: BMECLULL

LUX24 asbl
#VaiFicarTudoBem

Publicidade