Bruno Gonçalves Gomes, dirigente da Associação Letras Nómadas AIDC, escreve quinzenalmente no LUX24. FOTO: Sérgio Aires

Há quem diga que a humanidade e o mundo tem os seus ciclos, uns mais negativos e outros mais positivos.

Atravessamos um momento muito difícil da humanidade, talvez haja seguramente efeitos da pandemia dizem os entendidos, além da crise sanitária há efeitos socioeconómicos e políticos que nos vêm afetado de sobremaneira.

Hoje quem sai à rua vê as pessoas stressadas, nervosas, intolerantes e agressivas, será só mesmo resultado de quase 2 anos de confinamento?!

Vejamos as situações de violência física, verbal ou mesmo psicológica que têm acontecido nos últimos tempos, a polarização política que mais parece uma guerra onde se coloca homens contra homens, grupos contra grupos, comunidades contra comunidades, no nosso país apela-se aos portugueses de bem e propaga-se ódio aos que estes dizem ser portugueses do mal.

Olhemos para as tempestades de chuva na china e na Alemanha, para o calor abrasador nos EUA, cientificamente comprova-se como episódios de respostas da natureza aos danos provocados pelo homem.

Nunca neguei, embora com ideais políticos progressistas, sempre me considerei um homem de fé, sou um cristão não religioso que acredita no amor, na solidariedade e acima de tudo valorizo o livre arbítrio que Deus deixou, Deus é o ser que ama incondicionalmente a sua criação.

Não entro em discussões doutrinárias como já o fiz no passado, creio que todos temos consciência do bem e do mal, dos valores que queremos praticar, não perco tempo a criticar quem acredita ou os que querem viver os seus caminhos, pois acredito que pelos frutos conhecereis a árvore, duma árvore ruim não nasce bom fruto e mesmo que seja enxertada por outra árvore de fruto nunca o fruto será bom, porque a natureza da principal árvore não é boa.

Não é que me alegre do mal dos outros, mas dia menos dia veremos desmoronar as pessoas más, os que querem divisão, os que apostam no ódio para crescerem. Tudo é uma questão de tempo…

Eu acredito que Deus apesar do seu amor incondicional também tem os seus limites e antes que se deteriorem mais as relações humanas manda-nos os sinais dos tempos para que possamos dar passos atrás na nossa conduta.

A bíblia no livro de Mateus do novo testamento diz num dos seus capítulos que devido ao aumento da maldade, o amor de muitos se esfriará…

É uma profecia, mas talvez tenhamos tempo para dar uns passos atrás, para não sermos uns daqueles de quem o amor se esfriará!

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade