A professora Silvina Queiroz escreve semanalmente no LUX24.
Silvina Queiroz, professora.

Olá Luxemburgo! Olá Portugueses por aí! Não podia deixar escapar esta oportunidade de, mesmo tão à distância e de modo tão mediato, “conversar” convosco.

De há muito desejo visitar essas paragens e os meus concidadãos que aí fazem as suas vidas. Um dia será!

Para já rabiscarei umas pequenas “conversas” à mercê do momento e do que na altura me ocorrer contar-vos sobre a Terra Mãe.

Hoje lembrarei acontecimentos do passado fim de semana: o maior evento cultural, gastronómico, político, fraterno de todo o País e dificilmente acompanhado por qualquer outro nesta Europa que habitamos.

Falo, como alguns já terão “adivinhado”, da fantástica Festa do Avante. Todos os anos, no primeiro fim de semana “completo” do mês de Setembro, milhares e milhares de homens, mulheres, crianças desde a mais tenra idade, rumam à margem sul do Tejo para mais uma experiência incomparável.

Este ano não foi excepção e a Festa esteve formidável: cheia de gente risonha e bem disposta, espalhada pelos diferentes “stands” (perdoem o inglesismo!), petiscando gulosa , descansando à sombra de tantas e tão frondosas árvores, concentrada nos diversos debates políticos e culturais, porque sempre há mais um a acontecer, assistindo a um concerto frenético ou a um outro mais intimista e recolhido, segundo a apetência de cada um ou o impulso do momento, ou ainda ouvindo um disco ou comprando um livro na impressionante Feira do Livro! Este ano, sem novidade, o cartaz foi “luxuoso”.

Pelo Avante passaram os incontornáveis Xutos e Pontapés, Sérgio Godinho e Jorge Palma, Aldina Duarte e Ana Bacalhau, Janita e os Gaiteiros de Lisboa, o cante alentejano e o folclore, os sempre presentes Tocá Rufar, um grupo de percussão absolutamente fora de série! E tantos, tantos outros, sem esquecer uma especial referência ao grandioso Concerto Clássico de Abertura na noite de sexta-feira.

E a ciência, e o cinema, e o teatro  e a Cidade Internacional, com as muitas delegações estrangeiras trazendo o seu artesanato, a sua gastronomia, as suas culturas diversas. Pelo menos um mojito em Cuba ou uma caipirinha no Brasil, são “peregrinações” obrigatórias. E… e… e…

Não é preciso ser-se comunista para adorar conhecer esta Festa. Vem acontecendo com muitos e há alguns que, não sendo, de facto comunistas, aqui vêm ano após ano, porque reconhecem à Festa o seu carácter único e o seu ambiente vibrante e amistoso.

Caros amigos Portugueses no Luxemburgo, se ainda não vieram à Festa do Avante reservem na agenda para umas próximas férias a Portugal. Sempre em Setembro!

Mas lá ou aqui, neste cantinho pátrio, nesta cidadezinha “à beira mar plantada” estarei à vossa espera, porque quero conhecer-vos.

Obrigada, Paulo, pelo convite a entrar nesta bela aventura. Estou muito feliz! Abraços para todos!

*Silvina Queiroz, professora, escreve semanalmente às quartas no LUX24.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco via email para geral@lux24.lu.
Siga o LUX24 nas redes sociais. Use a #LUX24 nas suas publicações.
Faça download gratuito da nossa ‘app’ na Google Play ou na App Store.
Publicidade
Publicidade