A poucos dias dos 20 anos da restauração da independência de Timor-Leste, bandeiras de todos os tamanhos do país, são agora o principal negócio para os vendedores de rua que se espalham pela capital em Dili, Timor-Leste, 15 de maio de 2022. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

O secretário-geral da ONU, o português António Guterres, manifestou hoje a sua “admiração” pelo caminho que Timor-Leste “trilhou para ver realizadas as suas legítimas aspirações”, acrescentando que o povo timorense “foi e permanece uma inspiração para o mundo.

Em declarações à Agência Lusa, Guterres recordou o processo de restauração da independência da República Democrática de Timor-Leste, que comemora 20 anos e que resultou num momento de “alegria e júbilo” que “nunca esquecerá”.

“É com muita honra e com o maior gosto que me associo ao povo timorense na celebração do 20.º aniversário da restauração da independência da República Democrática de Timor-Leste. Como é sabido, sinto um especial apego por Timor-Leste e nutro uma grande admiração pelo povo timorense e pelo caminho que trilhou para ver realizadas as suas legítimas aspirações”, disse o secretário-geral das Nações Unidas.

António Guterres, que era primeiro-ministro na ocasião e foi uma importante figura neste processo de independência, no qual interveio activamente, destacou ainda o papel que as Nações Unidas desempenharam para que o povo timorense alcançasse a liberdade e autodeterminação.

“Nunca esquecerei o imenso sentimento de alegria e júbilo que partilhámos há vinte anos, quando a bandeira timorense foi finalmente hasteada em Díli e o país reconquistou a sua independência e se tornou no primeiro novo Estado soberano do século XXI”, disse Guterres.

“O vosso exemplo foi e permanece uma inspiração para o mundo”, frisou o português.

“As Nações Unidas orgulham-se do papel que desempenharam e do contributo que deram para que se concretizasse o direito do povo timorense à liberdade e à autodeterminação. E hoje continuam ao lado de Timor-Leste na sua jornada de consolidação da democracia, de aprofundamento dos direitos humanos e das liberdades fundamentais e de promoção do desenvolvimento e do bem-estar do seu povo”, concluiu Guterres, numa mensagem à Lusa.

Na sexta-feira, 20 de maio, Timor-Leste celebra 20 anos da restauração da independência, conseguida após uma luta de libertação contra a ocupação indonésia.

MYMM // PJA

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade