Fortes chuvas provocaram cheias na cidade da Praia, ilha de Santiago, Cabo Verde, 12 de setembro de 2020. O Governo de Cabo Verde vai reunir ainda hoje o Gabinete de Crise por causa das chuvas que caem desde madrugada na ilha de Santiago e que já provocaram uma morte e muitos estrados na cidade da Praia. FERNANDO DE PINA/LUSA
Fortes chuvas provocaram cheias na cidade da Praia, ilha de Santiago, Cabo Verde, 12 de setembro de 2020. FOTO: FERNANDO DE PINA/LUSA

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, anunciou domingo um programa de emergência para fazer face aos muitos estragos provocados pelas fortes chuvas que caíram nos últimos dias no arquipélago, com mais estragos na cidade da Praia.

O chefe do Governo cabo-verdiano fez o anúncio numa mensagem publicada ao final da tarde, após visitar durante a manhã vários bairros da cidade da Praia mais atingidos pelas fortes chuvas que caem desde a madrugada de sábado.

Ulisses Correia e Silva garantiu que o Governo está empenhado para, em conjunto com a Câmara Municipal da Praia, dar a “devida resposta à situação difícil” que encontrou em bairros como Achada Mato, Jamaica, São Paulo ou Fonton.

“Depois de reunir o Gabinete de Crise, também hoje, temos as informações necessárias para pôr de pé um programa de emergência, que, em primeiro lugar, visa desobstruir as vias, fazer as limpezas e reconstruir as infraestruturas que foram atingidas, particularmente os muros e outras. A prioridade absoluta é proteger as pessoas e os seus bens”, afirmou.

Sem avançar custos prováveis, o chefe do Governo disse que o programa vai ainda no sentido de realizar intervenção para colocar a cidade capital do país “na retoma da sua normalidade”.

“E só depois, intervenções mais estruturantes que vão exigir mais tempo de preparação para compor um bom programa com a mobilização de recursos, quer através do Orçamento do Estado quer através dos nossos parceiros”, completou.

Depois disso tudo, o primeiro-ministro anunciou “programas muito mais estruturantes” que visam tornar a cidade mais resiliente para fazer face a situações de chuvas e de inundações como a que está a viver neste momento.

Segundo o presidente do Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros, Renaldo Rodrigues, numa das enxurradas morreu um bebé de seis meses, que se encontrava em casa com a mãe e um irmão.

Desde a madrugada de sábado que chove em praticamente todas as ilhas de Cabo Verde, com mais intensidade na cidade da Praia, provocando a morte da criança, várias inundações, desmoronamentos e destruição de viaturas e edifícios.

O arquipélago de Cabo Verde está sob a influência de uma onda tropical que poderá transformar-se em depressão tropical, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INMG).

As previsões apontam que a onda tropical atinja o país até segunda-feira, estando associada a uma larga área de convecção produzindo aguaceiros e trovoada.

O instituto cabo-verdiano adiantou que o sistema está localizado junto à costa da Guiné Bissau, desloca-se com uma velocidade de 30 km/h e tem cerca de 70% de probabilidade de se transformar em uma depressão tropical.

“Durante a sua passagem condicionará o estado do tempo nas ilhas”, referiu o INMG, que prevê ainda chuvas de intensidade variável e possibilidade de trovoadas, intensificação do vento e agravamento significativo do estado do mar.

Depois de três anos consecutivos de seca, com chuvas irregulares e insuficientes, desde meados de julho que a chuva voltou a cair com alguma frequência em algumas ilhas de Cabo Verde.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões ou sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade

Todas as notícias e conteúdos no LUX24 são e continuarão a ser disponibilizadas gratuitamente, mas nunca como agora precisamos da sua ajuda para continuar a prestar o nosso serviço público.

Somos uma asbl – associação sem fins lucrativos – e não temos qualquer apoio estatal ou institucional, apesar do serviço público que diariamente fazemos em prol da comunidade portuguesa e lusófona residente no Luxemburgo, e já sentimos o efeito da redução da publicidade, que nos garante a manutenção do nosso jornal online.

A imprensa livre não existe nem sobrevive, sem o suporte activo dos seus leitores – sobretudo em épocas como esta, quando as receitas de publicidade se reduziram abruptamente, e nós continuamos a trabalhar a 100%.

Só lhe pedimos que esteja connosco nesta hora e nos possa ajudar com o seu donativo, seja ele de que valor for. Prometemos que continuaremos a ser a sua companhia de todas as horas.

Pode fazer o seu donativo por transferência bancária para a conta do LUX24:
IBAN: LU790250045896982000
Código BIC: BMECLULL

LUX24 asbl
#VaiFicarTudoBem

Publicidade