Police control a person as they patrol in central Vienna on November 2, 2020, following a shooting near a synagogue. - Austrian Interior Minster Nehammer said late on November 2 that a shooting in central Vienna near a major synagogue appeared to be a terrorist attack and was ongoing. (Photo by ROLAND SCHLAGER / APA / AFP) / Austria OUT

Uma série de ataques em vários pontos no centro de Viena, Áustria, causaram a morte a três pessoas e 15 feridos, de acordo com o mais recente balanço das autoridades locais.

Segundo revelou a polícia de Viena, seis lugares diferentes foram alvo de ataques, naquilo que está a ser encarado como um ataque terrorista.

A mais recente vítima mortal é uma das mulheres hospitalizadas que não resistiu à gravidade dos ferimentos, sendo que entre os óbitos foi incluído um dos atacantes, abatido pela polícia. Pelo menos um segundo atacante fugiu.

O ataque, o primeiro em Viena em 35 anos, começou com um tiroteio por volta das 20:00 (a mesma hora no Luxemburgo) numa rua central onde fica a sinagoga principal de Viena, então fechada, e muito próxima de uma área de bares muito frequentada.

“Estou feliz que os nossos polícias já tenham eliminado um dos autores. Nunca seremos intimidados pelo terrorismo e lutaremos contra esses ataques com todos os meios”, disse o chanceler austríaco, Sebastian Kurz, que classificou os atos de “ataques terroristas nojentos”.

“Não podemos dizer nada sobre o motivo ainda. Não podemos descartar um motivo antissemita, pelo lugar onde começou”, disse Kurz, sem dar mais detalhes.

Os atacantes deslocaram-se depois pelo centro da cidade, disparando sobre quem ocupava as esplanadas.

Armed policemen stand out of their car near the State Opera in the center of Vienna on November 2, 2020, following a shooting. – Two people, including one attacker, have been killed in a shooting in central Vienna, police said late November 2, 2020. Vienna police said in a Twitter post there had been “six different shooting locations” with “one deceased person” and “several injured”, as well as “one suspect shot and killed by police officers”. (Photo by JOE KLAMAR / AFP)

Centenas de pessoas refugiaram-se em bares e restaurantes, muito lotados porque ontem começou um novo confinamento para prevenir a propagação da covid-19.

Na Ópera de Viena, ou em salas de concerto como o Konzerthaus ou o Musikverein, muito perto da cena, milhares de pessoas permaneceram no interior durante horas, até saírem sob escolta policial.

Numa troca de tiros com a polícia, um dos autores do ataque foi morto, enquanto um agente ficou gravemente ferido.

As autoridades montaram um enorme dispositivo de segurança para localizar pelo menos um terrorista que fugiu, com dezenas de agentes das forças especiais e especializadas em ações antiterroristas a participarem nos esforços de busca, que também inclui o controlo das fronteiras.

A União Europeia já “condenou veemente” o “atentado horrível” ocorrido hoje, através de uma publicação no Twitter do Presidente do Conselho Europeu Charles Michel, apelidando-o de “um acto cobarde”.

“A Europa condena veementemente este acto cobarde que viola a vida e os nossos valores humanos. Os meus pensamentos estão com as vítimas e com o povo de Viena após o horrível ataque desta noite. Estamos ao lado da Áustria”, pode ler-se.

O último ataque em Viena ocorreu em 1985, quando o grupo palestiniano Abu Nidal matou três pessoas e feriu 39 no aeroporto da cidade.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade