O Serviço Sismológico Nacional (SSN) do México contabilizou hoje até 168 réplicas do terramoto de magnitude 7.7 na escala de Richter que sacudiu a costa do Pacífico central do país, matando pelo menos uma pessoa.

Não houve relatos imediatos de danos do terramoto que ocorreu às 13:05 (20:05 no Luxemburgo), de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos, que indicou, inicialmente, uma magnitude de 7.5.

Já o SSN ajustou a magnitude do sismo para 7.7, depois de ter adiantado 7.4 na tarde de hoje. A réplica com maior magnitude fixou-se nos 5.3.

O Presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, disse no Twitter que o secretário da Marinha lhe informou que uma pessoa morreu na cidade portuária de Manzanillo, Colima, quando desabou um muro de um centro comercial.

Em Coalcomán, Michoacan, perto do epicentro do sismo, prédios ficaram danificados, mas não houve relatos imediatos de feridos.

O epicentro foi localizado 37 quilómetros a sudeste de Aquila, perto da fronteira entre os estados de Colima e Michoacan, e a uma profundidade de 15,1 quilómetros.

Os alarmes de terramoto soaram menos de uma hora após terem soado num simulacro em todo o país, que marca os grandes tremores de terra que aconteceram na mesma data, em 1985 e 2017.

“De grande importância são os terramotos de 19 e 20 de setembro de 1985 de magnitude 8.1 e 7.6 [na escala de Richter], respectivamente, localizados na interface entre as placas de Cocos e América do Norte. Este provocaram danos significativos numa vasta área do centro do país e principalmente na Cidade do México”, acrescentou o SNN, num relatório especial divulgado no seu ‘site’ na Internet.

JML (SYL) // RBF

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade
Publicidade