Chinese President Xi Jinping (C) is welcomed by children after his arrival at Macao International Airport in Macao, China, 18 December 2019. The China head is in Macao to participate at the Macao Special Administrative Region of the People's Republic of China 20th anniversary celebrations. Macao was governed by Portugal until 1999 when it was transferred to China. As a special administrative region, Macao maintains separate governing and economic systems from that of mainland China. JOAO RELVAS/LUSA
O Presidente da China, Xi Jinping, acompanhado da esposa, Peng Liyuan, na chegada a Macau, 18.12.2019 – FOTO: JOÃO RELVAS/LUSA

O Presidente da China, Xi Jinping, elogiou hoje o líder cessante de Macau, defendendo que Fernando Chui Sai On deve continuar a apoiar o desenvolvimento da região e afirmando que “reconhece completamente o trabalho” feito.

De acordo com a agência de notícias chinesa Xinhua, Xi Jinping disse, durante uma reunião com o ainda líder de Macau: “O Governo central reconhece completamente o seu trabalho”.

Durante a reunião que mantiveram, na terceira visita do líder chinês ao território na última década, o chefe do executivo da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), o Presidente do gigante asiático elogiou o “trabalho diligente” de Chui nos últimos dez anos, salientando a obediência estrita à Constituição e à lei fundamental de Governo da região de uma forma pragmática e estável.

Só assim, continuou, foi possível atingir um grande número de novos objectivos e consolidar e promover a prosperidade e a estabilidade em Macau, segundo a Xinhua.

Para o futuro, Xi Jinping disse esperar que Chui continue a envolver-se no desenvolvimento do país e de Macau, apoiando activamente o novo líder do executivo local e o Governo chinês, mantendo a contribuição para a prática do princípio ‘um país, dois sistemas’.

O elogio à implementação deste princípio já tinha sido expresso logo à chegada ao território, no qual Xi Jinping vai presidir às cerimónias do 20.º aniversário da região administrativa especial chinesa.

Após aterrar no aeroporto de Macau às 16:00 (08:00 em Lisboa), Xi Jinping destacou “os sucessos e progresso” de Macau desde que a China reassumiu o exercício da soberania em 20 de Dezembro de 1999, após mais de 400 anos de administração portuguesa no território.

“Tanto o Governo central, como os chineses do continente estão também orgulhosos da experiência e implementação séria em Macau da política ‘um país, dois sistemas’”, disse o líder chinês num breve discurso.

A visita de Xi Jinping a Macau está a ser marcada por medidas excepcionais de segurança, numa altura em que a vizinha Hong Kong, região administrativa especial também regida pelo princípio ‘um país, dois sistemas’, continua a ser, há seis meses, palco de protestos antigovernamentais.

“Vale a pena sublinhar que o modelo para o futuro desenvolvimento de Macau tem de ser construído de forma conjunta”, defendeu o líder chinês.

Xi Jinping prometeu falar com “pessoas de todas as esferas da sociedade” durante a visita a Macau, para conhecer melhor os problemas da cidade.

O Presidente da China, Xi Jinping, acompanhado da esposa, Peng Liyuan, na chegada a Macau, 18.12.2019 – FOTO: JOÃO RELVAS/LUSA

A China reassumiu o exercício da soberania sobre Macau em 20 de Dezembro de 1999, após mais de 400 anos de administração portuguesa no território.

Com base no princípio “um país, dois sistemas”, a RAEM mantém o sistema capitalista e os direitos, deveres e liberdades dos seus cidadãos até 2049, gozando de elevada autonomia em todas as áreas, à excepção da defesa e da diplomacia.

Com uma economia assente no negócio do jogo, nos últimos dez anos, o investimento na Educação e na Saúde em Macau mais do que duplicou, enquanto na Segurança Social triplicou.

A reduzida taxa de desemprego, a estabilidade das finanças públicas e a diversificação da economia são outras das áreas sublinhadas pelas autoridades de Macau.

A evolução no PIB (Produto Interno Bruto) e no PIB per capita cresceu, respectivamente, 63,3% e 33,1% nos últimos dez anos.

O Presidente da República Popular da China chegou hoje a Macau para presidir às cerimónias do 20.º aniversário da região administrativa especial chinesa e dar posse ao novo Governo.

Mais de 650 profissionais da comunicação social estão registados para fazer a cobertura da visita de Xi Jinping a Macau.

As ligações marítimas de e para Hong Kong foram reduzidas e aumentaram os controlos aos passageiros. E desde terça-feira que as autoridades chinesas estão a proceder a controlos de segurança às viaturas que circulam na ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau, numa ilha artificial.

Estas inspecções já resultaram em várias detenções e recusas de entrada no território, incluindo a jornalistas acreditados para a cobertura das cerimónias destes dias, segundo relatos dos próprios meios de comunicação social com quem trabalham.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade