Leader of Italian far-right party "Fratelli d'Italia" (Brothers of Italy), Giorgia Meloni reacts as she holds a placard reading "Thank You Italy" after she delivered an address at her party's campaign headquarters overnight on September 26, 2022 in Rome, after the country voted in a legislative election. (Photo by Andreas SOLARO / AFP)

A líder do Irmãos de Itália (FdI), Giorgia Meloni, disse hoje que não vai “trair” o povo italiano, afirmando que tem “uma responsabilidade” para com aqueles que votaram na coligação de direita e extrema-direita nas eleições de domingo.

“Este é um momento de responsabilidade. (…) É um momento em que, se quer fazer parte da história, deve perceber que temos uma responsabilidade para as milhões de pessoas que nos escolheram. Não vamos traí-lo, como nunca o fizemos”, disse Giorgia Meloni.

A dirigente está prestes a ser tornar na primeira mulher à frente do Governo italiano depois de o seu partido ter obtido cerca de 26% dos votos.

“Se somos chamados a governar a nação, vamos fazê-lo para todos, para unir o povo, valorizando o que une e não o que divide. Não estamos na linha de chegada, mas no destino final. A partir de amanhã [terça-feira], devemos mostrar o que valemos”, declarou.

Giorgia Meloni disse que “lamentou” o facto de a participação dos eleitores italianos no acto eleitoral ter sido a mais baixa de todos os tempos numas legislativas.

“O desafio é fazer com que as pessoas voltem a acreditar nas instituições. Muitos italianos optam por não confiar. É preciso reconstruir a relação entre Estado e cidadão”, salientou.

(From L) Leader of Italian far-right Lega (League) party Matteo Salvini, Forza Italia leader Silvio Berlusconi, leader of Italian far-right party “Fratelli d’Italia” (Brothers of Italy) Giorgia Meloni, and Italian centre-right lawmaker Maurizio Lupi stand on stage on September 22, 2022 (Photo by Alberto PIZZOLI / AFP)

O FdI, que superou os seus parceiros da coligação, com a Liga, de Matteo Salvini, a ficar nos 8,9% e o Força Itália (FI), de Silvio Berlusconi, nos 8%, era o único grande partido que não fazia parte do recente Governo de unidade nacional liderado por Mario Draghi.

Segundo os resultados parciais, a coligação de direita e extrema-direita – liderada pelo FdI e que reúne ainda a Liga FI – obteve cerca de 43% dos votos nas legislativas.

O bloco de centro-esquerda, liderado pelo Partido Democrático, de Enrico Letta, deverá ter 26% dos votos.

O partido FdI, liderado por Giorgia Meloni, foi fundado em 2012 e tem raízes no Movimento Social Italiano (MSI), fundado pelos seguidores do ditador fascista Benito Mussolini.

JML // RBF

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco via email para geral@lux24.lu.
Siga o LUX24 nas redes sociais. Use a #LUX24 nas suas publicações.
Faça download gratuito da nossa ‘app’ na Google Play ou na App Store.
Publicidade
Publicidade