O candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden – FOTO: JOE BIDEN / FACEBOOK

O candidato democrata à presidência dos EUA, Joe Biden, criou uma equipa com centenas de advogados, para a eventualidade de o adversário, Donald Trump, disputar o resultado das eleições, revelou o jornal The New York Times.

A equipa é liderada por dois juristas que trabalharam para o ex-Presidente Barack Obama e, de acordo com a campanha de Biden, será “o maior programa de protecção eleitoral da história das campanhas presidenciais”.

A intenção desta equipa é salvaguardar a integridade das eleições e espoletar litígios quando considerar que o direito de voto está a ser violado, tendo em conta as circunstâncias particulares deste ato eleitoral, em plena pandemia de covid-19, em que muitos votos serão depositados por correspondência.

Donald Trump, actual Presidente e candidato à reeleição, já avisou que pode não aceitar o resultado das eleições, alegando que o voto por correio pode distorcer a verdade democrática, acreditando que pode permitir que alguns eleitores votem mais do que uma vez.

A equipe de juristas de Biden será liderada por Dana Remus, consultora jurídica da sua campanha e ex-chefe de assuntos jurídicos da Fundação Obama, e Bob Bauer, consultor jurídico durante o mandato de Obama e que trabalha como consultor de Biden, desde o verão.

A ambos cabe a criação de uma unidade de “contencioso especial” que contará com a liderança de dois ex-procuradores e que fiscalizará centenas de advogados distribuídos por todo o país, com o objectivo de levantar possíveis acções judiciais a nível estadual ou municipal, em matéria eleitoral.

A equipe será auxiliada pelo primeiro procurador-geral durante os mandatos de Obama, Eric Holder, que coordenará as acções judiciais entre a campanha e grupos progressistas independentes ou vinculados aos democratas que analisam aspectos do processo eleitoral.

Em entrevista ao The New York Times, Bauer assegurou que há receio de que Trump venha a usar os poderes do Governo federal para benefício político, durante o processo eleitoral.

As dimensões desta operação legal da campanha de Biden mostram que os democratas têm um medo real de que o resultado da eleição de 03 de novembro possa ser contestado no tribunal e que o vencedor da eleição só possa ser determinado dias ou semanas após o ato eleitoral, como sucedeu em 2000, quando os resultados, após a recontagem fracassada do estado da Flórida foi decidido pelo Supremo Tribunal.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões ou sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade

Todas as notícias e conteúdos no LUX24 são e continuarão a ser disponibilizadas gratuitamente, mas nunca como agora precisamos da sua ajuda para continuar a prestar o nosso serviço público.

Somos uma asbl – associação sem fins lucrativos – e não temos qualquer apoio estatal ou institucional, apesar do serviço público que diariamente fazemos em prol da comunidade portuguesa e lusófona residente no Luxemburgo, e já sentimos o efeito da redução da publicidade, que nos garante a manutenção do nosso jornal online.

A imprensa livre não existe nem sobrevive, sem o suporte activo dos seus leitores – sobretudo em épocas como esta, quando as receitas de publicidade se reduziram abruptamente, e nós continuamos a trabalhar a 100%.

Só lhe pedimos que esteja connosco nesta hora e nos possa ajudar com o seu donativo, seja ele de que valor for. Prometemos que continuaremos a ser a sua companhia de todas as horas.

Pode fazer o seu donativo por transferência bancária para a conta do LUX24:
IBAN: LU790250045896982000
Código BIC: BMECLULL

LUX24 asbl
#VaiFicarTudoBem

Publicidade