Um cidadão americano depois de votar na eleição presidencial no dia em que começa o voto antecipado na Florida, em Miami, Estados Unidos, 19 de outubro de 2020. A eleição presidencial será realizada em 3 de novembro opõe o atual presidente, Donald Trump, apoiado pelo partido republicano e o antigo vice-presidente de Barack Obama, Joe Biden, apoiado pelo partido democrata. MÁRIO CRUZ/LUSA

O sítio oficial do Departamento de Estado dos Estados Unidos anunciou que o mandato do Presidente Donald Trump terminou hoje, quando está previsto que permaneça no cargo até 20 de janeiro.

“O mandato de Donald J. Trump terminou em 11 de janeiro de 2021, às 19h49”, lê-se na biografia do Presidente cessante, nove dias antes de Joe Biden ser empossado no cargo, após ter vencido Trump nas Eleições Presidenciais de novembro.

A mesma página apresenta um texto semelhante para o ainda vice-presidente, Mike Pence, anunciando o fim prematuro do seu mandato.

Através das citações de dois diplomatas sob a condição de anonimato, o portal Buzzfeed adiantou que um “funcionário insatisfeito” no Departamento de Estado alterou as biografias de Trump e de Pence.

Segundo a mesma publicação, o ainda secretário de Estado, Mike Pompeo, ordenou a abertura de um inquérito interno para identificar o autor das mudanças nas biografias, entretanto já corrigidas.

A publicação gerou polémica nas redes sociais, já que, depois do ataque ao Capitólio desencadeado por apoiantes de Donald Trump, alguns elementos do Partido Republicano, ainda no poder, exigiram a demissão do Presidente, enquanto membros do Partido Democrata tomaram medidas para tentarem destitiuir o chefe de Estado, através de um processo de ‘impeachment’.

A presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, é uma das vozes que já defendeu o recurso à 25.ª Emenda da Constituição norte-americana para afastar Donald Trump da Casa Branca, com Mike Pence a assumir, nesse caso, a Presidência interina até 20 de janeiro.

A invasão ao Capitólio, perpetrada na quarta-feira, enquanto o Congresso norte-americano contava os votos dos Grandes Eleitores para ratificar a vitória eleitoral de Joe Biden, causou a morte a pelo menos cinco pessoas.

TYME (JYO) // JLS

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade