Protestors film and hold smoke bombs during a demonstration for "freedom, democracy and human rights" organised by the alliance Europeans United in Brussels, on January 23, 2022, to protest against the measures imposed by public authorities in Belgium and other European countries to fight the covid pandemic. - Recent days in Belgium figures of the number of people getting infected with the omicron variant have been peaking, reaching new record amounts every day. (Photo by HATIM KAGHAT / Belga / AFP) / Belgium OUT

Mais de 12 pessoas ficaram feridas e 70 foram detidas hoje em Bruxelas, durante protestos contra as vacinas anti-covid-19 e as restrições impostas pelo Governo belga para combater a contagiosa variante Ómicron, indicou a polícia.

A polícia usou canhões de água e gás lacrimogéneo para dispersar uma multidão de cerca de 50.000 pessoas que se concentrou na capital belga para o protesto, alguns manifestantes viajaram de França, da Alemanha e do Luxemburgo.

Os manifestantes repetiram palavras de ordem como “Liberdade!” enquanto marchavam pela cidade e alguns tiveram confrontos violentos com a polícia.

Um vídeo captado na altura mostra manifestantes vestidos de negro a atacar um edifício usado pelo serviço diplomático da União Europeia (UE), lançando projécteis para a sua entrada e partindo os vidros das janelas.

Estes protestos seguiram-se a manifestações em outras capitais europeias no sábado contra os certificados de vacinação e outros requisitos que os Governos europeus impuseram, numa altura em que as infecções diárias com covid-19 e as hospitalizações sofreram um pico devido à variante Ómicron, mais contagiosa.

Quase 77% da população belga está totalmente vacinada e 53% levou uma dose de reforço, de acordo com o Centro Europeu para Prevenção e Controlo de Doenças.

A Bélgica registou, até agora, mais de 28.700 mortes por Covid-19.

ANC // JMR

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade