O Governo italiano determinou hoje o reforço da utilização do certificado sanitário durante a época natalícia, excluindo os não vacinados de actividades de lazer para conter o aumento de casos de covid-19.

“Queremos prevenir e ser muito prudentes para evitar riscos e preservar o que alcançamos este ano”, salientou o primeiro-ministro de Itália, Mario Draghi.

A utilização do certificado sanitário, habitualmente disponibilizado a vacinados, recuperados ou com teste negativo, será reforçada e restringida.

Com o objectivo de ‘salvar’ o Natal, entre 06 de dezembro e 15 de janeiro o certificado sanitário apenas será concedido a vacinados e recuperados da doença.

Em Itália, o passe é exigindo para actividades de lazer como concertos, festas e discotecas, ou eventos desportivos, entre outras, noticia a agência EFE.

Mario Draghi referiu, em declarações aos jornalistas, que a pandemia está “sob controlo” mas “num ligeiro agravamento”.

O executivo italiano determinou ainda no decreto-lei aprovado esta quarta-feira a vacinação obrigatória aos elementos das forças policiais, funcionários administrativos de saúde e professores, entre outras profissões.

A Itália soma mais de 133.330 óbitos e 4.942.135 casos de infecção desde o início da pandemia.

A covid-19 provocou pelo menos 5.165.289 mortes em todo o mundo, entre mais de 258,29 milhões infecções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

DMC //RBF

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade