Balões vermelhos largados em memórias das vítimas do Covid-19, no Rio de Janeiro, Brasil, 08.08.2020 – FOTO: MAURO PIMENTEL / AFP

O Brasil ultrapassou sábado (08) a barreira das 100.000 mortes associadas à covid-19, quase cinco meses depois da confirmação do primeiro óbito no país, indicam dados oficiais divulgados pelas secretarias regionais de Saúde.

Segundo os mais recentes dados compilados pelo Conselho Nacional das Secretarias de Saúde (CNSS), o registo de mais 538 mortes nas últimas 24 horas elevou o total de vítimas mortais para 100.240, ao mesmo tempo que foram confirmados mais 21.732 novos casos de covid-19, elevando para perto de três milhões o número global de infectados.

Os números continuam a manter o Brasil como o segundo país do mundo mais afectado pela pandemia do novo coronavírus, apenas superado pelos Estados Unidos.

A 26 de fevereiro, o Ministério da Saúde brasileiro confirmou o primeiro caso de morte associada ao novo coronavírus, um brasileiro de 61 anos, residente em São Paulo, a cidade mais populosa do país, com cerca de 12 milhões de habitantes.

A 17 de março, cerca de 20 dias depois, as autoridades sanitárias confirmaram a segunda morte, a de um homem de 62 anos, igualmente residente na capital paulista.

A partir desse momento, as estatísticas foram aumentando, até que, em meados de maio, foi superada pela primeira vez a barreira dos mil óbitos diários.

Segundo os dados oficiais, a taxa de mortalidade da doença no Brasil é actualmente de 47,4 por cada 100.000 habitantes.

Em números absolutos, o Estado brasileiro mais afectado continua a ser o de São Paulo, que contabilizou mais de 600.000 casos e quase 35.000 mortes.

Sexta-feira, as autoridades paulistas decidiram adiar a reabertura das escolas em mais um mês, fixando a data para 07 de outubro.

Segundo o Ministério da Saúde brasileiro, o número de infectados, entretanto, curados é agora de 2.068.394, cerca de 70% do total de pacientes.

Cinco Estados brasileiros – Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Rio Grande do Norte – registam actualmente os maiores índices de contágio e de cortes associadas à covid-19.

Outras nove regiões do país mostram índices estáveis quer no número de novos contágios quer o de óbitos, enquanto nos restantes 12, o vírus começa a dar tréguas.

A pandemia de covid-19 já provocou cerca de 722 mil mortos e infectou mais de 19,4 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões ou sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade

Todas as notícias e conteúdos no LUX24 são e continuarão a ser disponibilizadas gratuitamente, mas nunca como agora precisamos da sua ajuda para continuar a prestar o nosso serviço público.

Somos uma asbl – associação sem fins lucrativos – e não temos qualquer apoio estatal ou institucional, apesar do serviço público que diariamente fazemos em prol da comunidade portuguesa e lusófona residente no Luxemburgo, e já sentimos o efeito da redução da publicidade, que nos garante a manutenção do nosso jornal online.

A imprensa livre não existe nem sobrevive, sem o suporte activo dos seus leitores – sobretudo em épocas como esta, quando as receitas de publicidade se reduziram abruptamente, e nós continuamos a trabalhar a 100%.

Só lhe pedimos que esteja connosco nesta hora e nos possa ajudar com o seu donativo, seja ele de que valor for. Prometemos que continuaremos a ser a sua companhia de todas as horas.

Pode fazer o seu donativo por transferência bancária para a conta do LUX24:
IBAN: LU790250045896982000
Código BIC: BMECLULL

LUX24 asbl
#VaiFicarTudoBem

Publicidade