A Alemanha registou 12.497 novas infecções por novo coronavírus que provoca a covid-19 e 343 mortes nas últimas 24 horas, segundo o mais recente balanço do Instituto Robert Koch (RKI).

O número de positivos desde o anúncio do primeiro contágio no país é de 1.921.024, com 40.686 mortes. Cerca de 1.545.500 pessoas foram dadas como recuperadas, de acordo com estimativas do RKI.

O número máximo de infecções foi registado no dia 18 de dezembro com 33.777, enquanto na última sexta-feira foi registado um novo recorde de mortes, com 1.188 vítimas.

No início da semana, os valores são mais baixos, entre outros motivos, porque são realizados menos exames ao fim de semana.

O RKI também alerta que a interpretação dos dados continua complicada, pois foram realizados menos exames na época de Natal e do final do ano, menos pessoas vão ao médico naquelas datas e as autoridades competentes não comunicaram casos confirmados diariamente para cálculo centralizado.

Na Alemanha, a incidência acumulada nos últimos sete dias é de 166,6 casos por 100.000 habitantes e as novas infecções totalizaram 138.516 na última semana, embora tendo em conta os feriados, os dados também devam ser analisados com precaução, segundo o RKI.

O pico de incidência foi registado em 22 de dezembro com 197,6 novas infecções por 100.000 habitantes numa semana

O número de pacientes com covid-19 em unidades de terapia intensiva no domingo era de 5.320, dos quais 3.049 recebem ventilação assistida, segundo dados do a Associação Interdisciplinar Alemã de Terapia Intensiva e Medicina de Emergência (DIVI).

O factor de reprodução (R) que tem em consideração as infecções num intervalo de sete dias é 1,18 na Alemanha, o que significa que cada cem infectados infectam uma média de 118 pessoas.

Entre 26 de dezembro e 08 de janeiro, o número de pessoas que já receberam a primeira dose da vacina contra o covid-19 na Alemanha é de cerca de 532.878, o que corresponde a 6,4 indivíduos por mil habitantes.

Hoje entraram em vigor as restrições acordadas na terça-feira passada entre a chanceler alemã, Angela Merkel, e os executivos regionais dos estados federais que ainda não tinham começado a implementá-las.

Consistem principalmente no alargamento das medidas já em vigor e no endurecimento de algumas delas, como as relativas às reuniões privadas, que se limitam a um agregado familiar e apenas a uma pessoa de outra residência.

As escolas e lojas não essenciais vão continuar encerradas e a actividade nos sectores do lazer, desporto, cultura e gastronomia, vigente desde o início de novembro, também vai continuar suspensa.

Por outro lado, em áreas onde a incidência cumulativa em sete dias ultrapassa 200 casos por 100.000 habitantes, a movimentação dos seus habitantes será limitada a um raio de 15 quilómetros da sua residência.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.926.570 mortos resultantes de mais de 89 milhões de casos de infecção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

DD // SB

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade