O Reino Unido e a UE adiaram de hoje para terça-feira, sem explicações, a retoma das negociações sobre a relação pós-‘Brexit’, apertando ainda mais um calendário já cerrado para evitar uma falta de acordo economicamente arriscada.

Depois de abandonar a UE a 31 de janeiro, após 47 anos, o Reino Unido continua a negociar com Bruxelas para tentar estabelecer uma relação comercial vantajosa com o bloco europeu, tendo como pano de fundo o período de transição, que termina a 31 de dezembro.

Após semanas de videoconferências, devido à pandemia de covid-19, realizou-se na semana passada a primeira série de conversações presenciais em Bruxelas, envolvendo os chefes das duas delegações, David Frost, pelos britânicos, e Michel Barnier, pela UE, em que ficaram mais uma vez claras as constatações comuns de que persistem divergências importantes.

Prevista inicialmente para hoje, a retoma das conversações foi adiada à última hora para terça-feira, indicaram as duas partes, sem avançarem as razões.

Segundo defende Londres, as negociações devem decorrer “de forma ligeiramente mais informal” que as precedentes.

“O objectivo é analisar quais os progressos que podem ser registados”, precisou um porta-voz do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson.

Um outro porta-voz, mas dos 27, a semana em curso deverá ser marcada por uma “série de reuniões de nível técnico entre especialistas” entre terça e quarta-feira.

Barnier, acrescentou, é, entretanto, aguardado em Londres para se reunir com Frost, mas à margem das conversações, indicou fonte europeia à agência noticiosa France-Presse (AFP).

A AFP lembra que o prazo está a apertar-se rapidamente e, com isso, o risco de um “não acordo” será devastador para as economias já muito enfraquecidas pela pandemia do novo coronavírus.

Boris Johnson pretende que, ao longo deste mês, fique definida a possibilidade de um acordo, três meses antes dos europeus, que consideram outubro, argumentando que haverá, depois, tempo para que os Estados-membros e o Reino Unido ratifiquem o tratado sobre a nova relação que entrará em vigor a 01 de janeiro de 2021.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões ou sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade

Todas as notícias e conteúdos no LUX24 são e continuarão a ser disponibilizadas gratuitamente, mas nunca como agora precisamos da sua ajuda para continuar a prestar o nosso serviço público.

Somos uma asbl – associação sem fins lucrativos – e não temos qualquer apoio estatal ou institucional, apesar do serviço público que diariamente fazemos em prol da comunidade portuguesa e lusófona residente no Luxemburgo, e já sentimos o efeito da redução da publicidade, que nos garante a manutenção do nosso jornal online.

A imprensa livre não existe nem sobrevive, sem o suporte activo dos seus leitores – sobretudo em épocas como esta, quando as receitas de publicidade se reduziram abruptamente, e nós continuamos a trabalhar a 100%.

Só lhe pedimos que esteja connosco nesta hora e nos possa ajudar com o seu donativo, seja ele de que valor for. Prometemos que continuaremos a ser a sua companhia de todas as horas.

Pode fazer o seu donativo por transferência bancária para a conta do LUX24:
IBAN: LU790250045896982000
Código BIC: BMECLULL

LUX24 asbl
#VaiFicarTudoBem

Publicidade