A petição 1208, que pede a abolição das férias coletivas de verão no sector da construção civil, é uma das 13 novas petições no site da Câmara dos Deputados, o Parlamento do Luxemburgo.

A polémica petição é da autoria de Robert Dennewald, antigo presidente da Câmara do Comércio, um acérrimo defensor do fim das ferias colectivas de verão no sector da construção.

No documento, que ainda só reuniu 160 assinaturas das 4.500 necessárias para ser discutido no Parlamento, Robert Dennewald sublinha que a imposição de férias coletivas no verão “diminui a capacidade de produção”.

“A lei proíbe as empresas de trabalhar durante três semanas a meio do verão, período durante o qual as condições climatéricas são óptimas para um setor altamente dependente das condições meteorológicas”, defende Robert Dennewald.

A abolição das férias colectivas de verão seriam, salienta o primeiro subscritor do documento, uma forma de “encurtar os prazos” das grandes obras essenciais para o desenvolvimento do país e aumentar a produção do sector.

 

 

Robert Dennewald refere ainda que com a abolição da lei os operários passariam a escolher as férias “em funções das suas necessidades”.

Recentemente o ministro das Obras Públicas, François Bausch, criticou as férias coletivas no setor da construção civil durante um encontro com empresários. Declarações que foram imediatamente repudiadas pela central sindical OGBL.

Recorde-se que os cerca de 18.000 trabalhadores dos setor da construção civil, na esmagadora maioria portugueses, têm 15 dias de férias no verão e dez no inverno, ao abrigo das convenções colectivas negociadas entre sindicatos e patrões.

A petição 1208 pode ser assinada até ao dia 4 de abril.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões ou sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade

Todas as notícias e conteúdos no LUX24 são e continuarão a ser disponibilizadas gratuitamente, mas nunca como agora precisamos da sua ajuda para continuar a prestar o nosso serviço público.

Somos uma asbl – associação sem fins lucrativos – e não temos qualquer apoio estatal ou institucional, apesar do serviço público que diariamente fazemos em prol da comunidade portuguesa e lusófona residente no Luxemburgo, e já sentimos o efeito da redução da publicidade, que nos garante a manutenção do nosso jornal online.

A imprensa livre não existe nem sobrevive, sem o suporte activo dos seus leitores – sobretudo em épocas como esta, quando as receitas de publicidade se reduziram abruptamente, e nós continuamos a trabalhar a 100%.

Só lhe pedimos que esteja connosco nesta hora e nos possa ajudar com o seu donativo, seja ele de que valor for. Prometemos que continuaremos a ser a sua companhia de todas as horas.

Pode fazer o seu donativo por transferência bancária para a conta do LUX24:
IBAN: LU790250045896982000
Código BIC: BMECLULL

LUX24 asbl
#VaiFicarTudoBem

Publicidade