[foto de arquivo] O director de assuntos orçamentais do Fundo Monetário Internacional (FMI), o português Vítor Gaspar. (Photo by Brendan Smialowski / AFP)

O director de assuntos orçamentais do Fundo Monetário Internacional (FMI), o português Vítor Gaspar, defendeu hoje que a complementaridade entre as políticas orçamentais e monetária implementadas para enfrentar a crise pandémica “funcionou muito bem”.

O ex-ministro das finanças português, que falava durante uma intervenção na edição de 2022 da conferência anual do Banco Europeu de Investimento (BEI), organizada em cooperação com a Universidade de Columbia, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e o SUERF (Fórum Monetário e Financeiro Europeu), destacou que o aumento das dívidas a nível global foi inédito em 2020, mas a resposta dada contribuiu para a estabilização.

Vítor Gaspar salientou que o aumento da dívida em 2020 foi comum à dívida das famílias, dívida corporativa não financeira e dívida pública, “enquanto na crise financeira global a dinâmica foi totalmente dominada pela dívida pública”.

O responsável do FMI explicou ainda que o rácio da dívida pública face ao PIB deverá diminuir, ainda que de forma muito gradual no médio prazo na Europa, nomeadamente na Alemanha, França e Itália.

A conferência, que decorreu em formato híbrido presencial e ‘online’, contou também, entre outros, com as intervenções do presidente do BEI, Werner Hoyer, do vice-presidente, Ricardo Mourinho Félix, da economista-chefe da OCDE, Laurence Boone, e do director-geral do Mecanismo Europeu de Estabilidade.

AAT // CSJ

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade