O primeiro-ministro do Luxemburgo, Xavier Bettel, fala com locais em Borondianka, Ucrânia, em 21 de junho de 2022 - FOTO © XAVIER BETTEL / TWITTER

O primeiro-ministro do Luxemburgo, Xavier Bettel, está hoje (21) de visita à Ucrânia, onde irá ver com os próprios olhos alguns dos cenários de guerra após a invasão militar russa àquele país do Leste europeu.

Pouco se sabe sobre os pormenores da visita – não revelados por motivos de segurança, tal como tem acontecido com outros chefes de Governo ou líderes mundiais – que inclui uma reunião com o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky.

O líder do executivo luxemburguês utilizou as redes sociais para mostrar a “solidariedade do Luxemburgo para com o povo da Ucrânia”.

“Porque enquanto a guerra da Rússia durar, o Luxemburgo #standwithUkraine (‘está com a Ucrânia’)”, escreveu Xavier Bettel na chegada a Kiev.

O primeiro-ministro luxemburguês testemunhou ‘in loco’ a “destruição total” de Borondianka, uma das muitas cidades atacadas e destruídas durante a invasão russa.

“Borondianka foi totalmente destruída pela agressão russa e é hoje um símbolo de crueldade e violência sem sentido. Nada consegue exprimir o horror do que aconteceu aqui”, lamentou Xavier Bettel, nas redes sociais.

O primeiro-ministro do Luxemburgo, Xavier Bettel, abraça uma mulher, confortando-a, durante a visita a Borondianka, Ucrânia, em 21 de junho de 2022 – FOTO © XAVIER BETTEL / TWITTER

Bettel esteve ainda em Bucha e deixou uma garantia à Ucrânia.

“Sem palavras para descrever a tragédia humana inimaginável em Bucha. Vocês podem contar com o Luxemburgo para apoiar as investigações de actores nacionais e internacionais sobre estes crimes de guerra e garantir que os responsáveis por estas atrocidades sejam identificados, processados e punidos”, garantiu o primeiro-ministro luxemburguês.

O primeiro-ministro do Luxemburgo, Xavier Bettel, em Bucha, Ucrânia, com autoridades locais, em 21 de junho de 2022 – FOTO © XAVIER BETTEL / TWITTER

Nesta visita, a convite do Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, Xavier Bettel declarou ainda o seguinte: “Saúdo a memória das vítimas nas cidades “heróicas”, como os ucranianos decidiram chamá-las, como Irpin. Admiro a coragem das mulheres e homens que estão no processo de trazer essas cidades de volta à vida depois da barbárie que aconteceu”.

ND // ND

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade