Ana Lopes e o ex-companheiro, Marco Silva, que a terá assassinado - Foto Facebook

O Tribunal de Recurso do Luxemburgo confirmou hoje (11) a pena de prisão perpétua para Marco Silva, o português considerado culpado de matar a ex-companheira, a também portuguesa Ana Lopes.

Marco Silva, que tinha sido condenado em primeira instância à pena de prisão perpétua, recorreu da sentença, mas o julgamento de recurso chegou hoje ao fim, e com as instâncias judiciais a confirmarem a pena máxima para o português.

Em janeiro de 2021, o português foi condenado em primeira instância à pena máxima (prisão perpétua) pelo homicídio premeditado da ex-companheira, Ana Lopes, também de nacionalidade portuguesa, em 2017.

Marco Silva foi condenado a prisão perpétua por vários factos relacionados com a morte da ex-companheira Ana Lopes, natural de Seia: Terá sequestrado, matado, queimado o corpo e o carro da vítima, na altura com 25 anos, e mãe de um filho do casal, de apenas 5 anos.

A portuguesa Ana Lopes assassinada no Luxemburgo em Janeiro de 2017 – FOTO: Facebook

O corpo de Ana Lopes foi encontrado totalmente carbonizado – assim como a viatura – no lado francês da fronteira, em Roussy-le-Village.

Natural de Viseu, Marco Silva, de 33 anos, foi condenado a prisão perpétua em 12 janeiro deste ano, como noticiou na altura o LUX24. Para além da pena de prisão perpétua, Marco Silva vai ainda ter que proceder ao pagamento de várias indeminizações: 100 mil euros aos pais de Ana Lopes, 25 mil à irmã e 100 mil ao filho em comum com Ana Lopes.

ND // ND

Familiares e amigos de Ana Lopes prestam homenagem à imigrante portuguesa no Luxemburgo, em Roussy-le-Village, França, no dia em que se assinalam 4 anos da morte do assassinato da jovem lusa, 17.01.2021 – FOTO: MB/LUX24
Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade