O filme de Patrícia Sequeira, “Snu”, é um dos destaques da edição deste ano do Festival de Cinema Português no Luxemburgo, que, entre hoje (08) e o próximo dia (16), apresenta nove filmes portugueses ao público luxemburguês.

De acordo com o cartaz do festival, uma organização conjunta do Centro Cultural Português – Camões e da embaixada de Portugal no Luxemburgo, ao longo de uma semana serão apresentados nove filmes que pretendem “mostrar ao Luxemburgo uma panóplia de géneros cinematográficos feitos em Portugal“.

“Snu” (2019), um drama biográfico sobre a vida da companheira do líder do PSD e malogrado primeiro-ministro Francisco Sá Carneiro, de Patrícia Cerqueira e protagonizado por Inês-Castel Branco, encerra o festival em 16 de novembro.

 

Esta noite, às 19:00, a abertura do festival está a cargo do drama “Gelo” (2016), de Luís Galvão Teles e Gonçalo Galvão Teles, numa sessão que contará com a presença dos realizadores.

 

Os dramas “São Jorge” (2017), de Marco Martins (13 de novembro) e “Pedro e Inês” (2018), de António Ferreira (12 de novembro) são outros destaques do festival, com uma década de existência.

Completam o cartaz do festival a comédia romântica “Refrigerantes e Canções de Amor” (2016), de Luís Galvão Teles (09 novembro), o documentário “Cruzeiro Seixas: As Cartas do rei Artur” (2015), de Cláudia Rita Oliveira (10 novembro), o filme biográfico “Correspondências” (2016), de Rita Azevedo Gomes (11 de novembro), o drama “Tabu” (2012), de Miguel Gomes (14 de novembro) e a película de mistério e terror “Faz-me companhia” (2019), de Gonçalo Almeida, (15 de novembro) numa sessão com o diretor e produtora do filme.

 

As sessões decorrem na Cinemateca, Cinema Utopia e Centro Cultural Português na cidade do Luxemburgo.

Gonçalo Galvão Teles em conferência sobre o cinema português na UNI

O realizador português Gonçalo Galvão Teles participa hoje (08/11) numa conferência dedicada ao cinema português, na Universidade do Luxemburgo, em Esch/Belval, de acordo com informação do Leitorado de Português do Camões na Universidade do Luxemburgo.

A conferência, intitulada “O Cinema Português: Um caso de Estudo”, realiza-se entre as 09:15 e as 11:15, na Maison du Savoir, sala 3.040, e antecede a inauguração de uma exposição sobre o cinema português naquele estabelecimento de ensino superior.

A exposição “Cinema Português” está aberta ao público até 7 de Fevereiro de 2020.

Estas iniciativas contam com a parceria do Centro Cultural Português – Camões e da Embaixada de Portugal no Luxemburgo.

Luís Galvão Teles e Gonçalo Galvão Teles – FOTO DR

Programação do Festival do Cinema Português no Luxemburgo:

Dia 08, às 09:15, Maison du Savoir, Universidade do Luxemburgo (UNI), Esch/Belval: Conferência com o realizador Gonçalo Galvão Teles e inauguração da exposição sobre o cinema português.

Dia 08, às 19:00, Ciné Utopia (16 Avenue de la Faiencerie, 1510 Luxembourg): Exibição do filme “Gelo”, de Luís Galvão Teles e Gonçalo Galvão Teles.

Dia 09, às 17:00, no Instituto Camões (4, Place Joseph Thorn L-2637 Luxemburgo): Exibição de “Refrigerantes e canções de amor”, de Luís Galvão Teles.

Dia 10, às 17:00, no Instituto Camões: Exibição de “Cruzeiro Seixas – as cartas do Rei Artur”, de Cláudia Rita Oliveira.

Dia 11, às 18:30, na Cinémathèque (17 Place du Théâtre, 2613 Luxembourg): Exibição de “Correspondências”, de Rita Azevedo Gomes.

Dia 12, às 18:30, na Cinémathèque: Exibição de “Pedro e Inês”, de António Ferreira.

Dia 13, às 18:30, na Cinémathèque: Exibição de “São Jorge”, de Marco Martins e Ricardo Adolfo.

Dia 14, às 18:30, na Cinémathèque: Exibição de “Tabu”, de Miguel Gomes.

Dia 15, às 20:30, na Cinémathèque: Exibição de “Faz-me companhia”, de Gonçalo Almeida.

Dia 16, às 19:00, na Cinémathèque: Exibição de “Snu”, de Patrícia Sequeira.

 

Publicidade