O Grão-Duque Henri discursa durante a Festa Nacional, 23.06.2021 - FOTO: ©SIP / Sophie Margue

O discurso protocolar da Festa Nacional do Luxemburgo ficou hoje (23) marcado pelo cumprimento de um minuto de silêncio em homenagem às vítimas da Covid-19 no Grão-Ducado, a pedido do Grão-Duque Henri.

O soberano pediu um minuto de silêncio em honra das 818 vítimas mortais que a pandemia fez, até ao momento, no país durante o seu discurso oficial, junto ao Monumento Nacional da Solidariedade (‘Kanounenhiwwel’), no Plateau du Saint-Esprit, na cidade do Luxemburgo.

“Neste Dia Nacional, reencontramo-nos aqui, mais uma vez, em frente ao Monumento Nacional da Solidariedade do Luxemburgo. O simbolismo deste lugar é mais relevante do que nunca. A pandemia da Covid-19 mudou radicalmente o nosso mundo. Na luta contra o vírus, a aspiração sempre foi conseguir o equilíbrio certo entre os direitos e liberdades individuais e o dever de proteger todos os cidadãos. Como nação, temos mostrado solidariedade e temos mostrado resiliência e paciência para o bem comum. Todos nós nos podemos orgulhar disso”, afirmou o Grão-Duque Henri.

“Os nossos hospitais resistiram, apesar de uma carga extrema e, juntamente com o compromisso incansável de todas as partes interessadas no sector da saúde, muitas vidas foram salvas. No entanto, o número de mortos é muito elevado: até à data, no Luxemburgo, lamentamos o desaparecimento de 818 pessoas cujas mortes são associadas à Covid-19. Em sua memória, observemos um minuto de silêncio. Por favor, levante-se”, pediu o soberano luxemburguês.

O Grão-Duque Henri elogiou a “humanidade, solidariedade, tolerância, respeito, resiliência e paciência” de todos “no interesse comum” durante a crise pandémica e garantiu que, “mais tardar até ao final do ano”, o governo fará uma cerimónia para homenagear as vítimas e para honrar aqueles que estão “excepcionalmente comprometidos” com a gestão desta crise sanitária.

“Há muitos meses que vivemos em câmara lenta por causa do vírus, a nossa vida social foi limitada, a nossa felicidade diária e as novas experiências reduzidas. A pandemia lançou uma luz sobre o estado da nossa sociedade, na Europa e em todo o mundo. Podemos ver facetas positivas, como a solidariedade transfronteiriça, entrelaçadas, no entanto, com tendências mais sombrias, como o populismo e as inverdades. É importante manter um estado de espírito positivo e basear nossos pensamentos em factos e verdades”, exortou o Grão-Duque Henri, dizendo ainda que esta crise serviu para olhar para certas profissões, “antes desvalorizadas”, com um outro olhar.

O Grão-Duque Henri deixou ainda uma palavra de “solidariedade” a todos os que perderam o emprego devido à crise sanitária.

O soberano lembrou ainda que, em 2022, as comemorações da Festa Nacional celebram 60 anos e expressou um desejo: “A minha grande esperança é que possamos celebrar novamente, todos juntos!”, enfatizou o Grão-Duque Henri.

LEIA AQUI O DISCURSO DO GRÃO-DUQUE HENRI NA ÍNTEGRA.

ND // ND

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade