Dois imigrantes portugueses, residentes no Luxemburgo, estão a ser julgados por tentarem ludibriar o instituto de emprego luxemburguês (‘Agence pour le Développement de L’Emploi – ADEM’).

O caso, revelado pelo jornal Le Quotidien, explica-se em poucas linhas: Em Maio do ano passado, Mário, de 36 anos, estava a receber subsídio de desemprego no Luxemburgo e, como tal, estava obrigado às apresentações periódicas nos serviços da ADEM da sua área de residência (Differdange), para continuar a receber as prestações.

Só que Mário tinha-se deslocado a Portugal, alegadamente em férias, e não informou a ADEM da sua ausência. Algo obrigatório por lei.

Como forma de tentar ludibriar o sistema, Mário pediu a um amigo, Armando, de 51 anos, para ir no seu lugar para validar o “cartão azul” (que actualmente já não existe) na apresentação mensal.

Para além do “cartão azul”, Mário ainda deixou o seu bilhete de identidade (cartão de cidadão) ao amigo, para este levar à apresentação.

A vigarice foi, obviamente, detectada e os dois portugueses enfrentam agora a Justiça luxemburguesa.

Mário é acusado de ter prestado falsa declaração à ADEM e Armando por usurpação de identidade.

A sentença vai ser conhecida no próximo dia 27 de Fevereiro.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões ou sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade