O ministro da Economoa, Pierre Gramegna, em conferência de imprensa, 25.03.2020 – SCREENSHOT LUX24

O Governo do Luxemburgo aprovou hoje um envelope financeiro de 8,8 milhões de euros para ajudar a Economia do país a fazer face à crise provocada pelo coronavírus Covid-19.

A medida, aprovada hoje (25) de manhã em Conselho de Ministros, foi anunciada pelo primeiro-ministro Xavier Bettel e, posteriormente, detalhada numa conferência de imprensa que juntou os ministros Pierre Gramegna (Finanças), Franz Fayot (Economia) e Lex Delles (Classes Medias/Turismo).

O pacote financeiro aprovado pelo Governo de 8,8 mil milhões de euros representa cerca de 14% do Produto Interno Bruto (PIB).

Para Pierre Gramegna, a crise “excepcional” provocada pelo Covid-19 merece igualmente “respostas excepcionais” por parte do Governo e do Estado.

O ministro das Classes Médias e Turismo, Lex Delles, em conferência de imprensa, 25.03.2020 – SCREENSHOT LUX24

Entre os números mais expressivos das medidas destaque para os custos do desemprego parcial (1,2 mil milhões de euros – referente a dois meses), auxílio às pequenas e médias empresas (300 milhões de euros) e a licença por motivos familiares (200 milhões por mês).

As pequenas empresas, com menos de nove empregados, e os trabalhadores independentes que foram obrigados a cessar actividade por causa desta crise poderão receber 5.000 euros de ajuda única, que não terão de reembolsar ao Estado. Nesta rubrica o Estado prevê gastar 50 milhões de euros de euros.

O adiamento do prazo de pagamentos dos impostos directos vai custar ao Estado 1,2 mil milhões de euros e os impostos indirectos 300 milhões de euros.

Já o diferimento dos prazos de pagamento das cotizações para a Segurança Social rondará os 3 mil milhões de euros.

A garantia estatal juntos dos bancos para financiar este apoio à Economia nacional ronda os 2,5 mil milhões de euros. A Sociedade Nacional de Crédito e de Investimento (SNCI) disponibiliza uma garantia adicional de 600 milhões de euros.

O ministro da Economia do Luxemburgo, Franz Fayot, em conferência de imprensa, 25.03.2020 – SCREENSHOT LUX24

O ministro das Finanças, Pierre Gramegna, indicou que 6 grandes bancos no país vão conceder uma moratória às empresas sobre o pagamento de juros.

Com o apoio do BCEE, BGL BNP Paribas, BIL, Raiffaisen, Banque de Luxembourg e o ING, o Estado assumirá então até 2,5 mil milhões de euros em empréstimos garantidos, representando 85% do risco. Os bancos acima mencionados assumem os 15% restantes.

“O nosso principal desafio será resolver problemas de liquidez e de tesouraria e evitar falências e desemprego”, afirmou Pierre Gramegna que congratulou-se ainda com as medidas excepcionais que estão igualmente a ser tomadas ao nível europeu para não deixar afundar a Economia.

 

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões ou sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade

Todas as notícias e conteúdos no LUX24 são e continuarão a ser disponibilizadas gratuitamente, mas nunca como agora precisamos da sua ajuda para continuar a prestar o nosso serviço público.

Somos uma asbl – associação sem fins lucrativos – e não temos qualquer apoio estatal ou institucional, apesar do serviço público que diariamente fazemos em prol da comunidade portuguesa e lusófona residente no Luxemburgo, e já sentimos o efeito da redução da publicidade, que nos garante a manutenção do nosso jornal online.

A imprensa livre não existe nem sobrevive, sem o suporte activo dos seus leitores – sobretudo em épocas como esta, quando as receitas de publicidade se reduziram abruptamente, e nós continuamos a trabalhar a 100%.

Só lhe pedimos que esteja connosco nesta hora e nos possa ajudar com o seu donativo, seja ele de que valor for. Prometemos que continuaremos a ser a sua companhia de todas as horas.

Pode fazer donativo via PayPal, ou então uma transferência bancária para:
IBAN: LU79 0250 0458 9698 2000
Código BIC: BMEC LU LL

LUX24 asbl
#VaiFicarTudoBem

Publicidade