O primeiro-ministro do Luxemburgo, Xavier Bettel, em conferência de imprensa, 17.10.2020 - SCREENSHOT LUX24

“A montanha pariu um rato”, lá diz o ditado popular. Depois de muita expectativa do que iria hoje o Governo anunciar, afinal “não haverá agravamento das medidas de restrição” face ao aumento dos casos de novas infecções por Covid-19.

Xavier Bettel e Paulette Lenert preferiram lançar mais um apelo à “responsabilização” e ao “respeito” de todos para evitar que o país volte a parar.

O anúncio foi feito esta noite, cerca das 19:25, pelo primeiro-ministro Xavier Bettel, em conferência de imprensa, após um Conselho de Ministros extraordinário que decorreu este sábado (17).

“É absolutamente essencial favorecer o teletrabalho, sempre que possível, e não haverá novas restrições nesta fase, nem ao nível de Horesca [hotelaria e restauração], nem dos contactos sociais”, afirmou Xavier Bettel.

“Com os números que temos neste momento, não há razão para tomarmos novas medidas mais restritivas”, disse o primeiro-ministro, lançando um apelo ao “respeito” de todos pelas medidas em vigor e pelos “gestos de barreira”.

O primeiro-ministro insistiu na “responsabilidade” de todos os cidadãos, sem esquecer a “solidariedade” para com as pessoas mais vulneráveis, pois a situação poderá “mudar a qualquer momento”.

“Os números dos próximos dias irão determinar a evolução da situação no Luxemburgo”, sublinhou Xavier Bettel.

O primeiro-ministro Xavier Bettel e a ministra da Saúde Paulette Lenert, em conferência de imprensa, 17.10.2020 – SCREENSHOT LUX24

“Todos somos parte da solução. Se todos respeitarmos as regras, sem egoísmo, sem irresponsabilidade, a pensar que o Covid19 só atinge os outros, julgo que vamos conseguir ultrapassar a situação”, enfatizou Xavier Bettel.

O primeiro-ministro luxemburguês admite que “todos estão fartos da máscara” e que alguns “começam a deixar de respeitar certas regras”, mas essa “não é a solução”.

Bettel apela, por isso, à continuação do respeito dos gestos de barreira: distanciamento físico, uso da máscara, limitação dos contactos e lavar e desinfectar regularmente as mãos.

“A nossa situação não é igual a dos países vizinhos, embora estejamos sempre atentos. Por isso não tomamos agora novas medidas. Temos disponibilidade de camas [hospitalares] que nos deixa relativamente tranquilos. A taxa de ocupação [dos hospitais] não é muito alta”, reforçou Paulette Lenert, ministra da Saúde, apelando igualmente ao comportamento “responsável” de toda a população.

A ministra da Saúde, Paulette Lenert, em conferência de imprensa, 17.10.2020 – SCREENSHOT LUX24

O Luxemburgo “ainda tem a situação controlada, ao contrário de alguns países vizinhos”, reforçou a ministra, considerando que o país “tomou medidas com antecedência suficiente” antes da evolução da epidemia.

Tanto Xavier Bettel como Paulette Lenert pediram “prudência” e “vigilância” a toda a população para manter a situação controlada no país.

“Se não fizermos esse esforço conjunto corremos o risco de desperdiçar tudo o que foi feito para trás”, disse Xavier Bettel, que quer a todo o custo evitar o segundo confinamento.

Recorde-se que, no sector Horesca (hotelaria e restauração), de acordo com as regras em vigor, os estabelecimentos devem fechar no máximo à meia-noite, servir apenas clientes sentados, o limite de pessoas por mesa são 10 (excepto se forem pessoas do mesmo agregado familiar), distância social de 1,5 metros entre mesas, uso de máscara obrigatório quando o cliente não está sentado e para os trabalhadores.

De acordo com os dados oficiais hoje revelados, o país contabiliza um total de 133 mortes 10.646 casos de infecção por Covid-19, desde que foi conhecido o primeiro caso no país no final de fevereiro de 2020.

Poderá acompanhar aqui a conferência de imprensa, com tradução simultânea em francês:

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões ou sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade

Todas as notícias e conteúdos no LUX24 são e continuarão a ser disponibilizadas gratuitamente, mas nunca como agora precisamos da sua ajuda para continuar a prestar o nosso serviço público.

Somos uma asbl – associação sem fins lucrativos – e não temos qualquer apoio estatal ou institucional, apesar do serviço público que diariamente fazemos em prol da comunidade portuguesa e lusófona residente no Luxemburgo, e já sentimos o efeito da redução da publicidade, que nos garante a manutenção do nosso jornal online.

A imprensa livre não existe nem sobrevive, sem o suporte activo dos seus leitores – sobretudo em épocas como esta, quando as receitas de publicidade se reduziram abruptamente, e nós continuamos a trabalhar a 100%.

Só lhe pedimos que esteja connosco nesta hora e nos possa ajudar com o seu donativo, seja ele de que valor for. Prometemos que continuaremos a ser a sua companhia de todas as horas.

Pode fazer o seu donativo por transferência bancária para a conta do LUX24:
IBAN: LU790250045896982000
Código BIC: BMECLULL

LUX24 asbl
#VaiFicarTudoBem

Publicidade