O primeiro-ministro do Luxemburgo, Xavier Bettel, em conferência de imprensa, 29.11.2021 - SCREENSHOT LUX24

O Governo do Luxemburgo anunciou hoje o endurecimento das medidas de combate à pandemia da Covid-19, mas o primeiro-ministro garantiu que as mesmas pretendem “evitar um novo confinamento” do país.

“Queremos evitar um confinamento. Não estamos aqui a anunciar o fecho de escolas ou restaurantes, ou o encerramento de algumas actividades (…) Não haverá tais decisões hoje, embora não possa descartar que isso possa acontecer novamente algum dia”, disse Xavier Bettel no arranque da conferência de imprensa conjunta com a ministra da Saúde, Paulette Lenert.

Tal como o LUX24 já tinha avançado, o Governo confirmou a recomendação do teletrabalho sempre que possível. A função pública passará a trabalhar remotamente quatro dias por semana.

“Estamos a trabalhar com os países vizinhos para encontrar novos acordos para os trabalhadores fronteiriços”, confirmou o primeiro-ministro.

O Governo confirmou igualmente a redução da validade dos testes PCR, que terão a validade de 48 horas em vez das actuais 72 horas, enquanto os testes antigénio terão uma validade mais reduzida: de 48 para 24 horas.

CovidCheck obrigatório mundo do trabalho

Xavier Bettel confirmou ainda nesta conferência de imprensa que o regime CovidCheck será implementado de forma obrigatória no mundo do trabalho.

Caso vá para a frente, a medida, cujos detalhes deverão ser revelados no novo projecto-de-lei, deverá entrar em vigor em meados de janeiro de 2022.

Recorde-se que, a medida opcional desde novembro, passará a ser obrigatória, mas os contornos na mesma ainda estão a ser discutidos com os parceiros sociais.

O primeiro-ministro Xavier Bettel e a ministra da Saúde Paulette Lenert, em conferência de imprensa, 29.11.2021 – SCREENSHOT / LUX24

Xavier Bettel confirmou igualmente a necessidade de realização de um autoteste à entrada (mesmo para vacinados) e uso de máscara obrigatório nas visitas a lares e outras estruturas idênticas.

O primeiro-ministro voltou a insistir que a vacinação é a solução para o combate ao vírus. “O risco é menor para as pessoas que foram vacinadas”, sublinhou Xavier Bettel.

O regime CovidCheck será “reforçado” para actividades de lazer, adoptando a regra 2G, ou seja, a pessoa precisará ser vacinada ou ter recuperado da doença para poder participar em determinadas actividades. Num evento que tenha mais de 200 pessoas, aplica-se a regra 2G: vacinados ou recuperados.

A ministra da Saúde do Luxemburgo, Paulette Lenert, em conferência de imprensa, 29.11.2021 – SCREENSHOT LUX24

3G obrigatório nas empresas, 2G nos cafés e restauração

De acordo com as medidas hoje anunciadas por Xavier Bettel e Paulette Lenert, o Governo vai impor a regra 3G (vacinado, testado ou recuperado) nas empresas e a regra 2G (vacinado ou recuperado) nas actividades de lazer e também no sector Horeca (cafés e restauração), tanto no interior como exterior.

O Governo não descarta ainda a possibilidade de serem implementados controlos de identidade, como forma de evitar fraudes. Em causa está o facto de existirem cada vez mais pessoas a usarem códigos QR alheios.

“Se as pessoas estiverem dentro de um restaurante ou bar com um código QR falso, o estabelecimento também será penalizado. Os controles são necessários, caso contrário, haverá abusos”, afirmou Xavier Bettel.

Vacinação: Dose de reforço da AstraZeneca após 4 meses

O Executivo revelou ainda que as cerca de 45 mil pessoas que foram vacinadas com a vacina da AstraZeneca deverão receber uma dose de reforço após “quatro meses da inoculação” e não seis meses depois como acontece com as outras vacinas contra a Covid-19.

A ministra da Saúde, Paulette Lenert, voltou igualmente a apelar à vacinação, admitindo, no entanto, que “a vacinação por si só não é suficiente”.

É, por isso, recomendável manter os gestos de barreira (usar máscara, distanciamento social, desinfecção regular das mãos).

Sobre a validade dos certificados sanitários, Paulette Lenert, diz que “é necessário um consenso” e chegar a um acordo com os outros estados-membros da União Europeia.

Seria um desastre se houvesse quatro regras diferentes num espaço de 40 km ao redor, nas áreas transfronteiriças“, referiu Paulette Lenert, num alusão à situação geográfica do país, localizado entre a Alemanha, França e Bélgica.

 Acompanhe a conferência de imprensa de Xavier Bettel e Paulette Lenert em directo e com tradução simultânea em francês: 

ND // ND

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade