Broute - Canal + - SCREENSHOT LUX24

A série cómica “Broute”, do Canal+ em França, ridicularizou o Luxemburgo por causa das práticas fiscais do Grão-Ducado.

Num novo episódio denominado ‘Le Luxembourg a un Incroyable Talent‘ (‘O Luxemburgo tem um talento incrível’), o actor Bertrand Usclat e restantes companheiros, revelam as proezas de “Bertrand, o mágico fiscalista”.

Para o mágico, “o importante não é de onde vem o dinheiro, mas para onde vai”.

Perante um júri de um programa de talentos, o mágico exibe o seu melhor truque: O Luxemburgo que é capaz de “não produzir nada, embora monopolize toda a riqueza dos Estados membros da UE”.

Numa alusão indirecta ao mais recente escândalo fiscal que envolve o Luxemburgo (o OpenLux, denunciado pelo jornal francês Le Monde), o mágico consegue até convencer um dos jurados que dizia ser “o governo luxemburguês”.

“Coopero com as instituições europeias e peço que se acabe imediatamente com isto”, diz o membro do júri, cuja personagem acaba rendida ao milhões que aparecem do nada.

Como forma de reconhecimento pelo enorme talento do “mágico-fiscalista”, o júri carrega no botão amarelo que dá ao “concorrente” um ‘golden ticket’ para as finais do concurso.

Cerca de sete anos depois do LuxLeaks, o Luxemburgo volta a ser acusado de práticas fiscais pouco claras, num caso – OpenLux – que envolve estrelas do futebol, artistas, máfia calabresa, entre outros, numa teia de lavagem de dinheiro e evasão fiscal.

ND // ND

 

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade