O Brasil registou 561 mortes e 16.641 casos de covid-19 nas últimas 24 horas, segundo informações publicadas num portal do Ministério da Saúde.

O país soma agora 94.665 óbitos e 2.750.318 infecções provocadas pelo novo coronavírus, segundo o mesmo levantamento do executivo.

Segundo o mesmo portal, 1.912.319 pacientes já são considerados recuperados da doença e outros 743.334 permanecem em acompanhamento.

O director de emergências da Organização Mundial de Saúde (OMS), Michael Ryan, declarou numa conferência de imprensa que a pandemia no Brasil continua a ser muito preocupante.

“A situação no Brasil continua a ser muito preocupante, com muitos estados a relatar um alto número de casos. A contagem média diária é de 60 mil [novos] casos e mais de mil mortes por dia”, afirmou Ryan.

O responsável da OMS apelou ao Brasil e a outros países na mesma situação, como o México e os Estados Unidos, que façam a sua parte para “detectar e isolar casos, rastrear contactos, quando possível, e criar condições nas quais a doença não se pode espalhar facilmente”.

Michael Ryan avaliou que o Brasil terá um longo caminho até sair da crise sanitária e sugeriu que as autoridades repensem as suas estratégias para superar a pandemia.

Já o Governo brasileiro fez saber, num balanço realizado na tarde de hoje, que tem agido para combater a doença e anunciou ter distribuído 8.923 ventiladores pulmonares pelo país.

O Ministério da Saúde destacou igualmente que habilitou e entregou 11.353 camas de tratamento intensivo usadas por pacientes em estado grave e foi responsável pela distribuição de 216 milhões de unidades de equipamentos de protecção para médicos e enfermeiros.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 689 mil mortos e infectou mais de 18,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões ou sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade

Todas as notícias e conteúdos no LUX24 são e continuarão a ser disponibilizadas gratuitamente, mas nunca como agora precisamos da sua ajuda para continuar a prestar o nosso serviço público.

Somos uma asbl – associação sem fins lucrativos – e não temos qualquer apoio estatal ou institucional, apesar do serviço público que diariamente fazemos em prol da comunidade portuguesa e lusófona residente no Luxemburgo, e já sentimos o efeito da redução da publicidade, que nos garante a manutenção do nosso jornal online.

A imprensa livre não existe nem sobrevive, sem o suporte activo dos seus leitores – sobretudo em épocas como esta, quando as receitas de publicidade se reduziram abruptamente, e nós continuamos a trabalhar a 100%.

Só lhe pedimos que esteja connosco nesta hora e nos possa ajudar com o seu donativo, seja ele de que valor for. Prometemos que continuaremos a ser a sua companhia de todas as horas.

Pode fazer o seu donativo por transferência bancária para a conta do LUX24:
IBAN: LU790250045896982000
Código BIC: BMECLULL

LUX24 asbl
#VaiFicarTudoBem

Publicidade