O Presidente norte-americano Donald Trump anunciou ontem o levantamento das sanções impostas em meados de outubro à Turquia após Ancara ter desencadeado uma operação militar contra os curdos na Síria.

Na noite de terça-feira, a Turquia anunciou que não retomaria a sua ofensiva militar contra as forças curdas após a retirada dos seus combatentes das zonas fronteiriças.

Os presidentes russo e turco, que desempenham uma função decisiva no conflito sírio, chegaram por sua vez um acordo, ainda na terça-feira e após longas negociações em Sochi (mar Negro), sobre o controlo comum da maior parte da zona fronteiriça.

“Pedi ao secretário do Tesouro o levantamento de todas as sanções impostas em 14 de outubro em resposta à ofensiva da Turquia”, declarou Trump na Casa Branca.

O Presidente norte-americano deixou ainda entender que o seu encontro com o homólogo turco Recep Tayyip Erdogan previsto para 13 de novembro na residência oficial em Washington vai mesmo decorrer.

“Poderemos encontrar-nos muito proximamente”, declarou, apresentando como um sucesso a sua estratégia sobre esta crise.

“Graças à nossa negociação com a Turquia foram salvas um número incalculável de vítimas”, insistiu.

“Agora as pessoas dizem, ouah, que resultado fantástico!”, acrescentou, sem precisar a quem se referia.

A ofensiva turca foi desencadeada após o anúncio da retirada militar norte-americana do nordeste sírio, denunciada em diversos círculos internos e internacionais com um abandono dos curdos, aliados de Washington na luta contra o grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico.

Trump assegurou hoje que Mazloum Abdi, comandante das Forças Democráticas Sírias (FDS), dominadas pelos curdos, lhe agradeceu.

“Acabei de falar ao general Mazloum, um homem formidável (…). Estava extremamente reconhecido”, afirmou.

Em simultâneo, Trump revelou que um “pequeno número de soldados” norte-americanos vai permanecer na Síria “nas zonas onde existe petróleo”.

“Os países da região devem assumir a sua responsabilidade e ajudar a Turquia e a Síria a garantirem a segurança da sua fronteira”, acrescentou.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões ou sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade

Todas as notícias e conteúdos no LUX24 são e continuarão a ser disponibilizadas gratuitamente, mas nunca como agora precisamos da sua ajuda para continuar a prestar o nosso serviço público.

Somos uma asbl – associação sem fins lucrativos – e não temos qualquer apoio estatal ou institucional, apesar do serviço público que diariamente fazemos em prol da comunidade portuguesa e lusófona residente no Luxemburgo, e já sentimos o efeito da redução da publicidade, que nos garante a manutenção do nosso jornal online.

A imprensa livre não existe nem sobrevive, sem o suporte activo dos seus leitores – sobretudo em épocas como esta, quando as receitas de publicidade se reduziram abruptamente, e nós continuamos a trabalhar a 100%.

Só lhe pedimos que esteja connosco nesta hora e nos possa ajudar com o seu donativo, seja ele de que valor for. Prometemos que continuaremos a ser a sua companhia de todas as horas.

Pode fazer o seu donativo por transferência bancária para a conta do LUX24:
IBAN: LU790250045896982000
Código BIC: BMECLULL

LUX24 asbl
#VaiFicarTudoBem

Publicidade