O secretário de Estado do Orçamento e próximo Ministro de Estado e das Finanças, João Leão, intervém durante a apresentação do Orçamento Suplementar 2020 no Salão Nobre do Ministério das Finanças, em Lisboa, 09 de junho de 2020. Após cinco anos como ministro das Finanças de António Costa, Mário Centeno vai deixar o Governo, sendo substituído a partir da próxima segunda-feira por João Leão, atual secretário de Estado do Orçamento. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA
O Ministro das Finanças, João Leão – FOTO: ANTÓNIO PEDRO SANTOS / LUSA

O défice das contas públicas portuguesas agravou-se em 6.122 milhões de euros no primeiro semestre de 2019, atingindo os 6.776 milhões devido aos efeitos da pandemia de covid-19, divulgou o Ministério das Finanças em comunicado.

“A execução orçamental em contabilidade pública das Administrações Públicas (AP) registou no primeiro semestre um défice de 6.776 ME, representando um agravamento de 6.122 ME face ao período homólogo pelo efeito combinado de contracção da receita (-9,5%) e crescimento da despesa (5,4%)”, pode ler-se no comunicado das Finanças que antecede a divulgação da Síntese da Execução Orçamental pela Direcção-Geral do Orçamento (DGO).

De acordo com o gabinete de João Leão, “a execução evidencia os efeitos da pandemia da covid-19 na economia e nos serviços públicos na sequência das medidas de política de mitigação”.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade