A economia alemã estagnou no segundo trimestre do ano, com crescimento zero do Produto Interno Bruto (PIB), de acordo com estimativas provisórias divulgadas hoje pela agência federal de estatística alemã (Destatis).

No primeiro trimestre do ano tinha-se registado um crescimento do PIB da Alemanha de 0,8%, segundo a agência, mas os danos na economia precipitados pela guerra na Ucrânia e a crise energética resultaram agora nesta estagnação.

A agressão da Rússia contra o país vizinho agravou a economia global, ainda a recuperar dos efeitos da pandemia Covid-19, e foi agora agravada pela inflação, especialmente nos sectores da energia e dos combustíveis.

Isto afectou o motor tradicional da economia alemã, como são as exportações, bem como o consumo público e privado, um pilar importante para o crescimento económico da potência europeia, atingida pela inflação mais alta das últimas décadas, adverte a Destatis.

A Federação da Indústria Alemã (BDI), por seu lado, assinala que, com base nestes dados, o perigo de cair em recessão é “cada vez mais provável”.

“A indústria alemã está a ser afectada pelas consequências da guerra na Ucrânia e pela perspectiva de uma persistente escassez de gás, além dos efeitos da pandemia”, disse a BDI num comunicado.

Cidadãos e empresas estão a sofrer as consequências do aumento dos preços das mercadorias, seja no sector da energia ou não, conclui a organização industrial.

MC // EA

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade
Publicidade