Os ministros das Finanças francês e alemão disseram hoje que os seus Governos apostam na “mesma estratégia” na luta contra a inflação e sublinharam a necessidade de aliviar as famílias mais afectadas e de manter as finanças públicas sólidas.

“O Estado não deve fomentar ainda mais a inflação com o seu poder de fogo”, advertiu o ministro das Finanças alemão, Christian Lindner, que apelou para um regresso às finanças “estáveis” com o regresso do denominado “travão da dívida” em 2023.

O ministro liberal alemão também indicou que as medidas de apoio aos cidadãos face ao aumento dos preços devem ser “direccionadas”, para “não deixar as famílias com rendimentos mais baixos sozinhas”, embora também tenha defendido a redução dos impostos para a classe média trabalhadora.

O ministro das Finanças francês, Bruno Le Maire declarou que a estratégia do Governo francês se baseia em três pilares, o primeiro dos quais é o alívio para as famílias, embora limitado temporariamente, uma vez que se espera que a inflação volte a cair a partir de 2023.

A segunda é a introdução de reformas estruturais, que segundo o ministro produziram resultados “muito positivos” em França, incluindo uma diminuição do desemprego e uma melhoria da competitividade e da atractividade do país como local de implantação.

Finalmente, salientou que o seu Governo está “determinado” a regressar a finanças públicas sólidas através da introdução de novas reformas e a cumprir a meta de 3% de défice máximo até 2027.

Os dois ministros também se pronunciaram contra a introdução de um imposto sobre os lucros inesperados.

Lindner argumentou que na Alemanha as empresas que obtiveram tais lucros estão nos sectores farmacêutico e das energias renováveis, pelo que não é desejável reduzir a sua iniciativa, e salientou que seria difícil determinar o que constitui um lucro inesperado a nível legal.

Le Maire disse que o seu Governo pretende reduzir o nível de tributação das famílias e das empresas em vez de “andar para trás” e salientou que a carga fiscal em França já é a mais elevada da Europa.

Os dois homens apareceram perante a imprensa após Le Maire ter recebido a Ordem de Mérito da República Federal da Alemanha de Lindner pela sua “contribuição para a amizade franco-alemã” e a sua “liderança” no Conselho de Ministros das Finanças.

Antes da cerimónia, o ministro francês reuniu-se em Berlim com a coordenadora do Governo alemão para a aeronáutica e assuntos espaciais, Anna Christmann, e para o princípio da tarde tem agendada uma reunião com o ministro da Economia e Protecção Ambiental alemão, Robert Habeck.

MC // MSF

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade
Publicidade