Bayern Munich players celebrate with the trophy after winning the UEFA Champions League final match between Paris Saint-Germain and Bayern Munich, held at Luz Stadium in Lisbon, Portugal, 23 August 2020. JOSE SENA GOULAO/LUSA
Bayern Munich players celebrate with the trophy after winning the UEFA Champions League final match between Paris Saint-Germain and Bayern Munich, held at Luz Stadium in Lisbon, Portugal, 23 August 2020. JOSE SENA GOULAO/LUSA

O Bayern de Munique conquistou hoje, pela sexta vez na sua história, a Liga dos Campeões de futebol ao vencer o Paris Saint-Germain, por 1-0, na final da Liga dos Campeões de futebol, disputada no Estádio da Luz, em Lisboa.

Kingsley Coman marcou, aos 59 minutos, o golo do triunfo da equipa alemã, orientada pelo treinador Hans-Dieter Flick, que sucede ao Liverpool como detentor do troféu.

Os bávaros arrebatarem o seu sexto troféu na competição, juntando aos conquistados em 1974, 1975, 1976, 2001 e 2013.

A 65.ª edição da prova teve uma inédita ‘final a oito’ em Lisboa, depois de ter sido interrompida devido à pandemia de covid-19.

Kingsley Coman marcou o golo do triungo do Bayern de Munique frente ao PSG na final da Liga dos Campeões, no Estádio da Luz, em Lisboa, 23.08.2020 – JOSÉ SENA GOULÃO / LUSA
Portugal’s President Marcelo Rebelo de Sousa (C-E) and the Prime Minister Antonio Costa (C-R) applaud before the UEFA Champions League final match between Paris Saint-Germain and Bayern Munich, held at Luz Stadium in Lisbon, Portugal, 23 August 2020. JOSE SENA GOULAO/LUSA

Fiabilidade alemã consagrada na final mais ‘gélida’ de sempre

O Bayern Munique celebrou hoje o sexto título de campeão europeu de futebol num Estádio da Luz, em Lisboa, despido de público, cumprindo as normas de prevenção à propagação do novo coronavírus, distante da tradição de uma final.

Kingsley Coman decidiu o jogo, aos 59 minutos, fazendo ecoar a música ‘Seven Nation Army’, dos White Stripes, nas bancadas vestidas de lona, com os vários patrocinadores da competição, tornando os bávaros como o terceiro campeão europeu consagrado em Lisboa, depois de Celtic Glasgow, em 25 de maio de 1967, e Real Madrid, em 24 de maio de 2014.

Além de animar a final, o golo de Coman assegurou o triunfo bávaro no encontro que marcou a estreia do Paris Saint-Germain em finais da Liga dos Campeões, assegurando o oitavo título alemão, depois das vitórias em 1974, 1975, 1976, 1983, 1997, 2001 e 2013, em 19 finais.

O Bayern foi o representante da ‘aristocracia’ da ‘velha Europa’ do futebol, perante os novos-ricos da cidade Luz, fundados há 50 anos, mas revolucionados desde 2011, com o investimento dos petrodólares de Nasser Al-Khelaifi.

O agora ‘gigante’ francês, que, esta época, tentava o pleno de títulos, depois das conquistas de campeonato, Taça, Supertaça e Taça da Liga de França, continua a perseguir o cetro continental.

Bayern Munich’s Kingsley Coman holds the trophy after winning the UEFA Champions League final match between Paris Saint-Germain and Bayern Munich, held at Luz Stadium in Lisbon, Portugal, 23 August 2020. JOSE SENA GOULAO/LUSA

Algo que foge aos clubes franceses desde 1992/93, quando o Marselha conquistou a então Taça dos Clubes Campeões Europeus, contando-se ainda os desaires do mesmo Marselha, em 1990/91, do Mónaco, em 2003/04, frente ao FC Porto, do Saint-Étienne, em 1975/76, e do Reims, em 1955/56 e 1958/59.

Apesar de só ter sido presenciado pelas entidades oficiais, comunicação social e alguns elementos do clube, o feito do Bayern é grandioso, completando o ‘triplete’ com campeonato e taça, repetindo as proezas alcançadas apenas oito vezes, por Celtic (1966/67), Ajax (1971/72), PSV Eindhoven (1987/88), Manchester United (1998/99), FC Barcelona (2008/09 e 2014/15), Inter Milão (2009/10) e Bayern (2012/13).

A pandemia que assolou o mundo adiou para 2021 o Euro2020, os Jogos Olímpicos Tóquio2020 e a Copa América e fez da ‘Champions’ a mais importante competição futebolística do ano, mas também uma das mais discretas.

Os festejos, mesmo ritmados pelo emblemático ‘We are the Champions’, dos Queen, foram restritos aos jogadores e equipa técnica, depois de um jogo em que contaram apenas com o apoio da sua “bancada de suplentes”, num cenário bem distinto do vivido em 2014 pelo Real Madrid, no mesmo estádio, ou pelo Liverpool, há pouco mais de um ano, em Madrid.

O presidente da UEFA, o esloveno Aleksander Ceferin, que assistiu ao jogo acompanhado do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, foi um dos poucos privilegiados que escapou a este isolamento e pôde saudar os campeões, que, entre eles, celebraram e partilharam o troféu no relvado, onde o conquistaram.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões ou sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade

Todas as notícias e conteúdos no LUX24 são e continuarão a ser disponibilizadas gratuitamente, mas nunca como agora precisamos da sua ajuda para continuar a prestar o nosso serviço público.

Somos uma asbl – associação sem fins lucrativos – e não temos qualquer apoio estatal ou institucional, apesar do serviço público que diariamente fazemos em prol da comunidade portuguesa e lusófona residente no Luxemburgo, e já sentimos o efeito da redução da publicidade, que nos garante a manutenção do nosso jornal online.

A imprensa livre não existe nem sobrevive, sem o suporte activo dos seus leitores – sobretudo em épocas como esta, quando as receitas de publicidade se reduziram abruptamente, e nós continuamos a trabalhar a 100%.

Só lhe pedimos que esteja connosco nesta hora e nos possa ajudar com o seu donativo, seja ele de que valor for. Prometemos que continuaremos a ser a sua companhia de todas as horas.

Pode fazer o seu donativo por transferência bancária para a conta do LUX24:
IBAN: LU790250045896982000
Código BIC: BMECLULL

LUX24 asbl
#VaiFicarTudoBem

Publicidade