Belenenses's Joao Monteiro after get injured during the Portuguese first league soccer match between Belenenses SAD vs Benfica, at National Stadium, in Oeiras, near of Lisbon, Portugal, 27 November 2021. ANTONIO COTRIM/LUSA

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) revelou esta segunda-feira (29) que os delegados ao jogo de Belenenses SAD e Benfica recusaram o adiamento da partida da 12.ª jornada, que foi finalizada pelo árbitro aos 48 minutos, no sábado.

“Imediatamente antes da reunião preparatória do jogo, o delegado da Liga Portugal questionou os delegados de jogo dos clubes sobre a possibilidade de adiamento, tendo sido afirmado por ambos que essa hipótese não se colocava”, refere o comunicado emitido pelo organismo, no site oficial.

No sábado, o Belenenses SAD entrou em campo com apenas nove jogadores disponíveis para defrontar o Benfica – dois deles guarda-redes -, devido a um surto do novo coronavírus que atingiu o plantel, e o encontro acabaria por ser interrompido no arranque da segunda parte, aos 48 minutos, depois de os ‘azuis’ terem ficado sem o número mínimo de futebolistas legalmente exigido para o desenrolar de um jogo (sete).

Para a segunda parte do encontro, o Belenenses SAD regressou com apenas sete jogadores, mas a lesão de um elemento originou o fim do encontro, que o Benfica vencia por 7-0 ao intervalo, com golos de Kau (01 minuto), na própria baliza, Seferovic (14 e 39, de penálti), Weigl (27) e Darwin (32, 34 e 45).

A direcção da LPFP reuniu-se esta segunda-feira de emergência, tendo manifestado uma “enorme consternação pela imagem extremamente negativa que o sucedido deu do futebol nacional”, tendo sido “consensual” que o “profissionalismo e qualidade” do futebol profissional português foram colocados em causa.

Belenenses’s players after the Portuguese first league soccer match between Belenenses SAD and Benfica ended in the 48th minute, as the Belenenses ran out of the minimum number of footballers, after starting with only nine, due to an outbreak of covid-19, at National Stadium, in Oeiras, near of Lisbon, Portugal, 27 November 2021. ANTONIO COTRIM/LUSA

A LPFP avançou com uma participação disciplinar para o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), para averiguação de “eventuais responsabilidades”, e pediu uma “reunião urgente com a Secretaria de Estado da Saúde, Secretaria de Estado da Juventude e Desporto e Direção-Geral da Saúde, para análise da actual situação e antecipar eventuais mudanças nos protocolos”.

De resto, o organismo questionou a decisão da delegada de Saúde, quando se suspeitava da “existência da estirpe Ómicron no plantel do Belenenses SAD, agora confirmada através de análises preliminares efectuadas pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA)”.

“A Liga Portugal questiona qual o critério que levou a delegada de Saúde a não considerar os nove jogadores disponíveis como contactos de alto risco, sendo que alguns deles tiveram, comprovadamente, contacto directo no jogo anterior com elementos positivos. A Liga Portugal questiona, também, se, ao longo deste processo, todos os agentes desportivos presentes no estádio do Jamor não deveriam ter sido informados deste facto e dos riscos a si associados (previamente ao jogo) e pergunta às autoridades de saúde quais foram os critérios seguidos para serem libertados três jogadores a menos de uma hora do início do encontro”, pode ler-se no comunicado.

Perante esta situação, a LPFP vai trabalhar, com carácter de urgência, numa “proposta de revisão das normas relevantes do Regulamento das Competições organizadas pela Liga Portugal, de forma a reforçar os mecanismos à disposição da direcção para actuar em matéria de adiamento de jogos”.

Benfica garante que “não foi parte activa” na decisão de se ter jogado no sábado

O Benfica reiterou, em comunicado, que “não foi parte activa” na decisão de se ter jogado o Belenenses SAD-Benfica, no sábado, o que “lamenta profundamente”, e que “aguarda serenamente” as conclusões do processo disciplinar que foi aberto.

Em comunicado de três pontos, publicado no sítio oficial dos ‘encarnados’ na Internet, o clube “reitera que lamenta profundamente ter estado envolvido, sem nenhuma responsabilidade própria, num dos episódios mais tristes da história do futebol português”.

O Benfica assegura que “não foi parte activa na decisão de se ter realizado a partida, tendo sido obrigado a apresentar-se em campo sob pena de ser penalizado”.

Nesse contexto, o Benfica aguarda “serenamente as conclusões do processo disciplinar e de apuramento de responsabilidades aberto pela Liga de Clubes e acatará as decisões que forem tomadas por parte das entidades competentes”.

Já hoje, em carta enviada à LPFP, o Belenenses SAD solicitou a repetição do jogo, escudando-se no ponto quatro do artigo 45.º do Regulamento das Competições, que aponta que “quando o jogo tiver sido dado por findo pelo árbitro antes do termo do seu tempo regulamentar, o resultado que o mesmo registe não será homologado, sendo designado novo jogo pela Liga Portugal, salvo nos casos expressamente previstos nos regulamentos”.

Belenenses SAD acusa relatório do delegado da Liga de “má-fé e falsidade”

O Belenenses SAD acusou hoje o relatório do delegado da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) de atingir “requintes de má-fé e falsidade indignos”, sobre o jogo com o Benfica, da 12.ª jornada do campeonato.

“O relatório do delegado é manipulado e atinge requintes de má-fé e de falsidade indignos da Liga Portugal, dos clubes associados da Liga e do futebol português”, escreveram os ‘azuis’, em comunicado, reagindo à nota anterior da Liga de clubes, que revelou que os delegados das duas formações recusaram o adiamento da partida.

O conjunto presidido por Rui Pedro Soares “afirma a sua intenção de reagir a este relatório mal fabricado com todos os meios previstos na lei”, alegando que o relatório do delegado da Liga “omite o que foi dito na reunião preparatória regulamentar”.

Belenenses’s goalkeeper Alvaro Ramalho (L) in action against Benfica´s Haris Seferovic (2-R) during the Portuguese first league soccer match between Belenenses SAD vs Benfica, at National Stadium, in Oeiras, near of Lisbon, Portugal, 27 November 2021. ANTONIO COTRIM/LUSA

“Na reunião preparatória do jogo, o CEO da Belenenses SAD, perante todos os presentes, disse que a realização do jogo era uma ‘vergonha’ [sic] e estava indignado, e lembrou que, na época de 2020/21, a Belenenses SAD dispôs-se a adiar o jogo com o Benfica devido ao número de casos de covid-19”, explicaram os líderes dos lisboetas.

Dizendo que esse relatório “refere, todavia, algo que diz ter antecedido a reunião preparatória”, os ‘azuis’ dizem que “o que antecede a reunião preparatória não tem base regulamentar, nem valor jurídico”, explicando a sua versão dos acontecimentos.

“Antes da reunião preparatória, não existiu qualquer reunião entre o delegado da Belenenses SAD, Nuno Almeida, o delegado do Benfica e o delegado da Liga. O delegado da Belenenses SAD nem sequer se encontrou com o delegado do Benfica. O delegado da Belenenses SAD teve uma conversa de circunstância com o delegado da Liga, sem nunca ter dito que ‘a hipótese de adiamento não se colocava’”, expressaram.

DYRP (FB/MO/VR/NFO) // AMG

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade