Danilo Pereira, do FC Porto, celebra após marcar ao Sporting, I Liga portuguesa de futebol, 15.07.2020. FOTO: JOSÉ COELHO/LUSA

O FC Porto assegurou quarta-feira (15) à noite a conquista do seu 29.º título de campeão português de futebol, ao vencer em casa o Sporting, por 2-0, no encontro de encerramento da 32.ª jornada da I Liga 2019/20.

Danilo Pereira, aos 64 minutos, e o maliano Marega, aos 90+1, selaram o triunfo do ‘onze’ de Sérgio Conceição, que, com duas rondas por disputar, passou a somar 79 pontos, contra 71 do Benfica, segundo classificado.

Por seu lado, o Sporting, que ainda não tinha sofrido qualquer derrota sob o comando de Rúben Amorim, manteve-se no terceiro posto, com 59 pontos, contra 57 do Sporting de Braga, quarto, que empatou 1-1 com o Belenenses SAD.

 A ÉPOCA 

O FC Porto recuperou de sete pontos de desvantagem para o Benfica e sagrou-se campeão da atípica I Liga de futebol de 2019/20, marcada pela covid-19, que ditou um interregno de três meses e jogos à porta fechada.

Os ‘dragões’, que começaram a prova com uma inesperada derrota por 2-1 em casa do recém-promovido Gil Vicente, levaram a melhor nos jogos com o adversário directo na corrido ao título, o Benfica, e foram superiores em momentos decisivos.

O FC Porto disfarçou o deslize em Barcelos com o triunfo em casa do Benfica (2-0), impondo à equipa da Luz os únicos pontos perdidos na primeira volta, à terceira jornada, a única que acabou com o Sporting, ainda com Bruno Fernandes, na liderança.

Os portistas chegaram pela primeira vez ao topo da I Liga à oitava jornada, com os mesmos 21 pontos do Benfica (segundo), após um triunfo por 3-0 sobre o então inusitado líder Famalicão, recém-chegado ao principal campeonato após um jejum de 25 anos.

A liderança do FC Porto foi testada e reprovada na ronda seguinte, com um empate a 1-1 em casa do Marítimo, que permitiu ao então campeão Benfica, com um robusto triunfo por 4-0 na recepção ao Portimonense, ascender isolado ao primeiro posto.

Com o Sporting cedo fora da luta pelo título, Benfica e FC Porto seguiram separados por dois pontos até à 13.ª jornada, altura em que novo empate dos ‘dragões’, desta vez em casa do Belenenses SAD (1-1), deixou as ‘águias’ com quatro pontos à maior.

Na 15.ª jornada, o FC Porto venceu por 2-1 em casa do Sporting, sentenciando de uma vez por todas as aspirações dos ‘leões’, que caíram para o quarto lugar, a 16 pontos do líder, e reduziram a luta do título a um mano a mano com o Benfica.

No último jogo da primeira volta, o FC Porto perdeu na recepção ao Sporting de Braga (1-2) e permitiu ao Benfica, que venceu por 2-0 em casa do rival Sporting, alargar a vantagem na liderança para sete pontos e começar a estender a passadeira para o título.

A formação da Luz estava com um pé nos ‘bis’, mas a chama portista voltou a acender-se com um triunfo obrigatório, por 3-2, na recepção ao Benfica, à 20.ª jornada: os ‘dragões’ colocaram-se a quatro pontos, quando podiam ter ficado a 10.

O jogo no Dragão foi crucial para a reconquista do FC Porto, pelo qual marcaram Sérgio Oliveira, aos 10 minutos, Alex Teles, aos 38 (grande penalidade) e Vlachodimos, aos 44 (própria baliza). Vinícius, aos 18 e 50, fez os golos do Benfica.

Na jornada seguinte (21.ª), o FC Porto venceu em Guimarães (2-1) e tirou partido da segunda derrota consecutiva do comandante Benfica, em casa com o Sporting de Braga (1-0), para reduzir a desvantagem de quatro para apenas um ponto.

Em 02 de março, para a 23.ª jornada, o FC Porto vence o Santa Clara (2-0), nos Açores, e aproveitou novo deslize do Benfica, que empatou em casa com o Moreirense (1-1), para ascender à liderança isolada, com 59 pontos, mais um do que o Benfica.

O campeonato foi suspenso após a realização da 24.ª ronda, devido à pandemia de covid-19, com o FC Porto a liderar com um ponto de vantagem sobre o Benfica, e o seu reatamento só aconteceu em junho, com os jogos à porta fechada.

O desconfinamento da I Liga foi digno de um filme de suspense. O FC Porto perdeu em casa do Famalicão (2-1), abrindo a hipótese de liderança isolada ao Benfica, que jogou no dia seguinte, mas não foi além de um empate na recepção ao Tondela (0-0).

O Benfica retomou o topo ‘estatístico’ da I Liga, com os mesmos 60 pontos do FC Porto, devido à diferença entre golos marcados e sofridos, mas com os ‘dragões’ em vantagem na ‘prática’, graças à vantagem do confronto directo.

Na jornada seguinte (26.ª), o FC Porto venceu em casa o Marítimo (1-0) e tirou partido de mais um empate do Benfica, em Portimão (2-2) para reassumir a liderança isolada, com dois pontos de vantagem sobre os ‘encarnados’.

A intermitente liderança prosseguiu na ronda seguinte (27.ª), com o Benfica, que venceu em casa do Rio Ave (1-2), a retomar o tal comando ‘fictício’, com os mesmos 64 pontos do FC Porto, que empatou a 0-0 na casa do lanterna-vermelha Desportivo das Aves.

A parceria foi desfeita definitivamente na ronda seguinte (28.ª), em que o FC Porto regressou à liderança, após a goleada por 4-0 ao Boavista, com três pontos de vantagem sobre o Benfica, que perdeu por 4-3 na recepção ao Santa Clara.

Na 29.ª jornada, o FC Porto (4-0 ao Boavista) ficou ainda mais isolado na liderança, com seis pontos de vantagem sobre o Benfica, que voltou a perder – 10 pontos somados em 30 possíveis -, desta feita em casa do Marítimo (2-0).

A questão tornou-se apenas matemática e os ‘dragões’, com triunfos sobre o Belenenses SAD (5-0), em Tondela (3-1) e face ao Sporting (2-0) já puderam festejar hoje, a duas jornadas do fim, um título que chegou a parecer perdido.

FC Porto campeão: Conceição ameaçou sair, mas acabou bicampeão

Sérgio Conceição sagrou-se pela segunda vez campeão português de futebol como treinador do FC Porto, numa temporada em que chegou a pôr o lugar à disposição, após a derrota na final da Taça da Liga.

FC Porto’s head coach Sergio Conceicao celebrates after his team scored their second goal during their Portuguese First League soccer match against Sporting, held at Dragao stadium, in Porto, north of Portugal, 15 July 2020. JOSE COELHO/LUSA

No final de janeiro, depois de perder frente ao Sporting de Braga uma competição que jamais venceu, Sérgio Conceição colocou o lugar à disposição, dizendo que havia falta de união dentro do clube, mas, mesmo a sete pontos do Benfica, o presidente do FC Porto, Pinto da Costa, segurou o treinador.

Após ter perdido o campeonato de 2018/19 para o Benfica, quando também teve sete pontos de vantagem, Sérgio Conceição conseguiu a sua ‘vingança’, aproveitando uma das piores séries de resultados da história dos ‘encarnados’, que acabou por levar à queda de Bruno Lage.

Ao contrário de anos anteriores, o FC Porto atacou mais o mercado, depois de perder alguns dos jogadores fundamentais da temporada anterior, como Casillas, que sofreu um enfarte e acabou a carreira, Felipe, Éder Militão, Brahimi e Herrera.

Dos reforços, o guarda-redes Marchesín, o defesa Marcano, de regresso, e o avançado Luis Díaz afirmaram-se como habituais titulares, ao contrário de Uribe e Zé Luís, muito inconstantes, e de Nakajima, a aquisição mais cara, mas que nunca se impôs e não voltou à equipa após a paragem devido à covid-19.

‘Roubado’ aos franceses do Nantes no início da temporada 2017/18, o antigo futebolista dos ‘dragões’ prometeu títulos na apresentação e cumpriu, dando ao FC Porto o primeiro campeonato em cinco temporadas e negando o ‘penta’ ao Benfica.

A segunda temporada começou com a conquista da Supertaça, frente ao Desportivo das Aves, naquele que tinha sido o último título dos ‘dragões’.

A primeira metade da temporada até foi bastante positiva, com uma excelente prestação na fase de grupos da Liga dos Campeões, que terminou com apenas um empate, e com uma caminhada segura no campeonato, em que chegou a ter sete pontos de avanço para o Benfica, que acabou por perder.

O arranque da temporada 2019/20 foi de autêntico pesadelo, com a eliminação na terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões, frente ao Krasnodar, com uma derrota em casa, por 3-2, depois de ter vencido na Rússia, por 1-0, na primeira mão.

A entrada no campeonato foi igualmente para esquecer, com uma derrota por 2-1 em casa do Gil Vicente, que regressava à I Liga com uma equipa praticamente nova.

Apesar de ter vencido na Luz e em Alvalade, o FC Porto chegou ao fim da primeira volta a sete pontos do Benfica e Sérgio Conceição acabou por colocar o lugar à disposição, após duas derrotas com o Sporting de Braga – para o campeonato e para a Taça da Liga -, intercaladas por um triunfo sofrido sobre o Vitória de Guimarães, nas ‘meias’ da Taça da Liga.

O ponto de viragem acabou por ser um triunfo em casa sobre o Benfica (3-2), que acabou por afetar os ‘encarnados’, que só conseguiram três triunfos em 13 encontros da I Liga desde a partida do Dragão.

Na Liga Europa, e após uma fase de grupos intermitente, o FC Porto acabou por ser eliminado nos 16 avos de final pelo Bayer Leverkusen.

Sérgio Conceição vai ainda disputar mais uma final, a da Taça de Portugal, em 01 de agosto, em Coimbra, frente ao Benfica, procurando a primeira vitória numa taça.

O ex-futebolista perdeu duas finais da Taça de Portugal, ambas para o Sporting e no desempate por grandes penalidades, em 2015 pelo Sporting de Braga e no último ano já pelo FC Porto, registando ainda dois desaires no encontro decisivo da Taça da Liga.

Conceição repete pleno de triunfos entre ‘grandes’ de Mourinho e Hagan

O FC Porto selou hoje o pleno de triunfos entre ‘grandes’ na edição 2019/20 da I Liga portuguesa de futebol, replicando o que só havia sido conseguido pelo Benfica de 1971/72 e a versão 2002/03 dos ‘dragões’.

Depois dos triunfos na Luz (2-0) e em Alvalade (2-1) na primeira volta, e de uma crucial vitória na receção aos ‘encarnados’ (3-2) a abrir a segunda, os novos campeões nacionais bateram hoje em casa o ‘imbatível’ Sporting de Rúben Amorim por 2-0.

O Benfica, de Jimmy Hagan, tinha sido o primeiro a conseguir este feito, o FC Porto, de José Mourinho, replicou-o, 31 anos depois, e, volvidas 17 épocas, foi a vez dos comandados por Sérgio Conceição ‘arrasarem’ no campeonato entre ‘grandes’.

FC Porto’s players celebrate after winning their 29th Portuguese First League title, at Dragao stadium, in Porto, north of Portugal, 15 July 2020. FC Porto won their match against Sporting for 2-0. JOSE COELHO/LUSA

Na primeira volta, o FC Porto venceu os dois jogos em Lisboa, por 2-0 na Luz, com tentos de Zé Luís (22 minutos) e Marega (86), e por 2-1 em Alvalade, com novo tento do maliano (06) e um de Soares (73), contra um de Acuña (44).

A terceira vitória aconteceu no Dragão, onde o Benfica, mesmo com um ‘bis’ de Vinícius (18 e 50 minutos), não evitou um desaire por 3-2, selado com tentos de Sérgio Oliveira (10), Alex Telles (38, de penálti) e Vlachodimos (44, na própria baliza).

Este encontro foi determinante nas contas do ‘onze’ de Sérgio Conceição, pois, perdendo, o FC Porto ficaria, então, a 10 pontos do líder Benfica e, praticamente, sem hipóteses de chegar ao segundo cetro em três anos.

Hoje, o encontro voltou a ser decisivo, não porque a vitória na prova ainda estivesse em discussão, mas pelo facto de valer, matematicamente, o 29.º título. O empate até era suficiente, mas os ‘dragões’ conseguiram vencer.

Um golo de Danilo Pereira, aos 64 minutos, o 16.º de cabeça e o 13.º na sequência de um canto dos portistas na prova, e um tento do maliano Marega, aos 90+1, selaram o segundo pleno dos ‘dragões’, depois do conseguido por José Mourinho.

Em 2002/03, na primeira época completa de ‘Mou’ nos ‘azuis e brancos’, após ter entrado a meio de 2001/02, o FC Porto também fechou, então já campeão, o pleno com um triunfo na receção ao Sporting, vencendo por 2-0, com golos de Hélder Postiga e Maniche.

A série começou nas Antas, perante o Benfica, com um triunfo por 2-1, com um autogolo de Éder e um tento de Deco, após Tiago adiantar os ‘encarnados’, e, prosseguiu com vitórias por 1-0 em Alvalade (marcou Costinha) e na Luz (Deco).

O FC Porto acabou o respetivo campeonato com 11 pontos de avanço sobre o Benfica, segundo, e 27 face ao Sporting, terceiro, e arrebatou ainda a Taça UEFA (3-2 após prolongamento ao Celtic, na final) e a Taça de Portugal (1-0 à União de Leiria).

O primeiro pleno entre os ‘grandes’, e único do Benfica, foi conseguido em 1971/72 e começou nas Antas, com um triunfo por 3-1, logo na ronda inaugural, com um ‘bis’ de Eusébio e um tento de Artur Jorge, na segunda parte, depois de Abel marcar na primeira.

Em Alvalade, à 14.ª ronda, os ‘encarnados’ foram ainda mais convincentes, vencendo por claros 3-0, com golos de Eusébio, mais um, Rui Rodrigues e Nené. Na segunda volta, as vitórias caseiras foram tangenciais, com António Simões a selar o 1-0 face ao FC Porto e Eusébio a ‘bisar’ face ao Sporting, derrotado por 2-1.

O pleno de triunfos do Benfica estendeu-se à Taça de Portugal, já que o ‘onze’ de Jimmy Hagan goleou em casa o FC Porto nas ‘meias’, por um implacável 6-0, para, na final, no Jamor, bater o Sporting por 3-2, graças a um ‘hat-trick’ do ‘rei’.

Eusébio decidiu sobre o final do prolongamento, aos 118 minutos, selando um perfeito 6-0 do Benfica nos embates entre ‘grandes’, com 18 golos marcados – oito do ‘pantera negra’, que acabou a época com 27 – e quatro sofridos.

Por seu lado, o Sporting acabou cinco campeonatos invicto entre os ‘grandes’ – contra 20 do FC Porto e 13 do Benfica -, mas nunca ganhou os quatro jogos na mesma época, tendo como melhor três triunfos e um empate, em 1952/53 e 1969/70.

Quanto ao FC Porto, ainda jogará o pleno na época, face ao Benfica, na final da Taça de Portugal, em 01 de agosto, num ‘deserto’ Estádio Cidade de Coimbra em Coimbra.

FC Porto campeão: Oito repetem título de 2018, Pepe festeja 13 anos depois

Oito futebolistas do FC Porto repetiram o título da I Liga portuguesa de 2017/18, com Pepe, o jogador mais titulado do plantel, a sagrar-se campeão pela terceira vez, 13 anos depois.

O internacional português regressou a meio da temporada passada aos ‘dragões’, após 10 épocas no Real Madrid e uma e meia no Besiktas, conquistando novamente o título que havia vencido em 2005/2006 e 2006/2007.

Com a saída de Iker Casillas, que não voltou a jogar após o enfarte sofrido em 2019, Pepe, de 37 anos, tornou-se o jogador com mais títulos do plantel, somando, entre outros, três Ligas espanholas e três Ligas dos Campeões pelos ‘merengues’, além de ter vencido o Europeu de 2016 e a Liga das Nações de 2019, ao serviço da seleção portuguesa.

Em relação ao plantel campeão em 2017/18, são oito os repetentes, os defesas Iván Marcano, que regressou ao FC Porto esta temporada, e Alex Telles, os médios Danilo, também campeão europeu por Portugal, Otávio, Corona e Sérgio Oliveira, e os avançados Aboubakar, Marega e Soares.

Vários jogadores sagraram-se pela primeira vez campeões em Portugal, mas já tinham saboreado títulos em outros países, como o guarda-redes Marchesín (México), o defesa Mbemba (Bélgica), o médio Matheus Uribe (México e Colômbia) e os avançados Luis Díaz (Colômbia) e Zé Luís (Rússia).

A aposta em jogadores jovens, vindos da formação, intensificou-se nos momentos finais da temporada, com sete dos campeões da UEFA Youth League a garantirem o seu primeiro título cetro: o guarda-redes Diogo Costa, os defesas Diogo Leite e Tomás Esteves, os médios Romário Baró, Vítor Ferreira e João Mário e os avançados Fábio Silva e Fábio Vieira.

Destes, apenas Diogo Leite tinha um título pela equipa sénior, a Supertaça de 2018, sendo que outros ainda poderão nas últimas jornadas juntar-se a este lote.

O defesa Wilson Manafá, o médio Loum e o avançado Nakajima conquistaram o primeiro título nacional das carreiras, assim como Bruno Costa, que se mudou para o Portimonense em janeiro, mas depois de dois jogos pelos ‘dragões’.

Liga de clubes felicita FC Porto pelo título de campeão de futebol

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional felicitou hoje o FC Porto, que conquistou o seu 29.º título de campeão português, ao vencer o Sporting, por 2-0, no encontro de encerramento da 32.ª jornada da I Liga 2019/20.

“A Liga Portugal, na pessoa do Presidente, Pedro Proença, felicita o FC Porto, os seus jogadores, equipa técnica, ‘staff’ e dirigentes, pela conquista do 29.º título de campeão nacional do palmarés”, pode ler-se numa nota publicada no sítio oficial da Liga de clubes.

O FC Porto assegurou hoje a conquista do seu 29.º título de campeão português de futebol, ao vencer o Sporting por 2-0, no Estádio do Dragão, no Porto.

Danilo Pereira, aos 64 minutos, e o maliano Marega, aos 90+1, selaram o triunfo do ‘onze’ de Sérgio Conceição, que, com duas rondas por disputar, passou a somar 79 pontos, contra 71 do Benfica, segundo classificado.

Programa da 32.ª jornada (hora luxemburguesa):

– Segunda-feira, 13 jul:

Marítimo – Rio Ave, 0-0.

Vitória de Setúbal – Famalicão, 1-2.

– Terça-feira, 14 jul:

Santa Clara – Desportivo das Aves, 3-0.

Portimonense – Boavista, 2-1.

Gil Vicente – Tondela, 3-2.

Benfica – Vitória de Guimarães, 2-0.

– Quarta-feira, 15 jul:

Moreirense – Paços de Ferreira, 1-1.

Sporting de Braga – Belenenses SAD, 1-1.

FC Porto – Sporting, 2-0.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões ou sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade

Todas as notícias e conteúdos no LUX24 são e continuarão a ser disponibilizadas gratuitamente, mas nunca como agora precisamos da sua ajuda para continuar a prestar o nosso serviço público.

Somos uma asbl – associação sem fins lucrativos – e não temos qualquer apoio estatal ou institucional, apesar do serviço público que diariamente fazemos em prol da comunidade portuguesa e lusófona residente no Luxemburgo, e já sentimos o efeito da redução da publicidade, que nos garante a manutenção do nosso jornal online.

A imprensa livre não existe nem sobrevive, sem o suporte activo dos seus leitores – sobretudo em épocas como esta, quando as receitas de publicidade se reduziram abruptamente, e nós continuamos a trabalhar a 100%.

Só lhe pedimos que esteja connosco nesta hora e nos possa ajudar com o seu donativo, seja ele de que valor for. Prometemos que continuaremos a ser a sua companhia de todas as horas.

Pode fazer o seu donativo por transferência bancária para a conta do LUX24:
IBAN: LU790250045896982000
Código BIC: BMECLULL

LUX24 asbl
#VaiFicarTudoBem

Publicidade