Bola Select - FOTO: HUGO DELGADO / LUSA

O FC Porto e o Sporting procuram hoje manter os lugares no topo da I Liga portuguesa de futebol, depois de terem sido ultrapassados provisoriamente pelo Benfica, que venceu no sábado o Belenenses SAD.

No sábado, o Benfica venceu o Belenenses SAD, por 7-0, num encontro que terminou aos 48 minutos, depois de os ‘azuis’ terem ficado com apenas seis jogadores em campo.

O Belenenses SAD começou com apenas nove futebolistas, devido a um surto de covid-19, reentrando para a segunda parte com sete, com a lesão de um jogador no recomeço a obrigar ao fim da partida.

Actualmente a dois pontos do Benfica, o FC Porto recebe o Vitória de Guimarães (sétimo classificado), às 21:30 (*hora luxemburguesa), numa partida em que não deverá contar com Pepe e Francisco Conceição.

Em 76 jogos em casa do FC Porto, os vimaranenses apenas conseguiram quatro vitórias, a última em 2018/19, 23 temporadas depois da anterior.

Antes dos ‘dragões’ entrarem em campo, o Sporting, que tem os mesmos pontos do FC Porto, recebe (*19:00) o Tondela, 10.º posicionado e que vai a jogo com algumas baixas, devido à covid-19, entre os quais o treinador Pako Ayestarán.

Apesar de nunca ter vencido em Alvalade, o Tondela conseguiu pontuar em três das seis visitas ao Sporting.

Ruben Amorim lembra que basta um empate para estragar bom momento do Sporting

O treinador do Sporting lembrou que basta um empate para estragar o bom momento da equipa de futebol dos ‘leões’ e avisou que não vai ter contemplações para quem não der o máximo frente ao Tondela.

Ruben Amorim fez o lançamento do encontro da 12.ª jornada da I Liga, em Alcochete, e reconheceu que “por mais que os treinadores avisem”, o recente apuramento para os oitavos de final da Liga dos Campeões e a proximidade da vista ao Benfica podem dificultar a mudança de ‘chip’, mas frisou que conhece os seus jogadores.

O treinador do Sporting, Rúben Amorim. (foto: MÁRIO CRUZ / LUSA)

“Confio em todos e quem não estiver bem com o Tondela não vai jogar com o Benfica. Essa é a maior motivação que podem ter. Volto a dizer: basta um empate e podemos estragar tudo o que construímos nos últimos meses, portanto, temos de ganhar”, atirou o treinador dos ‘leões’.

Por isso, apesar de Alvalade ter vivido “uma noite especial” na quarta-feira, o técnico dos ‘leões’ fez questão de frisar que “o futuro é ganhar ao Tondela” e exigiu empenho máximo dos jogadores.

“Se alguma coisa acontecer, algum mau resultado com o Tondela, e a equipa der tudo, não há problema. Se tivermos um comportamento que não está de acordo com a grandeza do Sporting, aí sim, os jogadores podem perder o lugar”, reforçou.

E o nível de exigência de Amorim é tão elevado que nem Pedro Gonçalves escapou à ‘mira’ do técnico, apesar de ter marcado dois dos três golos do Sporting ao Borussia Dortmund e de ter sido eleito o melhor jogador da semana na Liga dos Campeões.

“O Pote [Pedro Gonçalves] tem essa característica de fazer golos, mas olho mais para o jogo dele e a verdade é que não estava a fazer um bom jogo, estava desaparecido, precipitado até. Mas olho da mesma forma do que quando esteve sete jogos sem marcar e jogava bem. Marcou dois golos [na quarta-feira], mas pode fazer muito melhor. Tem de trabalhar nesse sentido e foi isso que fez durante a semana”, reconheceu Ruben Amorim.

De resto, o treinador frisou que a equipa está consciente “do perigo que há” no próximo encontro, “que o Tondela preparou com tempo” e que o adversário “vem motivado jogar a Alvalade”, por isso, os jogadores do Sporting têm de estar “ainda mais motivados” .

E nem o facto de o treinador dos beirões, Paco Ayestarán, não poder estar no banco, por estar infectado com covid-19, torna o encontro de domingo mais fácil para os ‘leões’.

“As equipas estão preparadas. Obviamente que o treinador, estando perto da equipa, é sempre melhor, mas, como disse o seu colega, já têm um ano e tal de trabalho com esta equipa técnica e estarão preparados. Mas o impacto da covid-19 é sempre negativo numa equipa. Espero que recupere rápido”, desejou Ruben Amorim.

A finalizar, o técnico voltou a abordar o seu futuro no Sporting e o alegado interesse do Manchester United nos seus serviços, reconhecendo que, apesar de estar vinculado aos ‘leões’, “os contratos, às vezes, valem pouco”, mas frisando que “o mais importante” é que está feliz no clube de Alvalade.

“Vim para o Sporting, fiz a escolha certa, o principal é que sou feliz aqui e quero ficar. O futuro é o Tondela e ganhar o próximo jogo é a única coisa que está na minha cabeça”, frisou Ruben Amorim.

Sérgio Conceição relativiza eficácia oscilante do FC Porto

O treinador Sérgio Conceição relativizou a incapacidade de o FC Porto transpor para a Liga dos Campeões o melhor ataque da I Liga de futebol, na véspera da recepção ao Vitória de Guimarães, da 12.ª jornada.

“Preocupava-me se equipa não criasse situações. Obviamente, a cereja no topo de bolo era sermos mais eficazes. Temos muitas ocasiões nesta fase de grupos. Se criamos quatro ou cinco na ‘Champions’, nas provas internas criamos o dobro. A equipa produz muito a nível ofensivo, o que me deixa satisfeito”, vincou, em conferência de imprensa.

Os ‘dragões’ marcaram 39 golos em 14 encontros nas competições nacionais, 28 dos quais no campeonato, num registo inverso aos três somados em cinco partidas na maior prova europeia de clubes, num grupo com Liverpool, Atlético de Madrid e AC Milan.

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição. (foto: MANUEL FERNANDO ARAUJO / LUSA)

Na derrota de quarta-feira em solo inglês (2-0), Pepe foi titular, mas lesionou-se no decorrer da primeira parte e teve de ser substituído por Fábio Cardoso, cuja utilização no jogo diante dos vitorianos é uma “grande possibilidade” para compor o eixo defensivo.

“Temos de ser inteligentes e criativos numa posição da equipa onde não se pode inventar muito, na minha opinião. Há jogadores que, não sendo a sua posição de raiz, podem disfarçar a ausência de centrais, mas não é o ideal. Temos de trabalhar outras situações para que, se surgir algum imprevisto, estarmos preparados para corresponder”, notou.

O congolês Chancel Mbemba é o outro defesa-central disponível para Sérgio Conceição, que admitiu não haver previsões quanto às recuperações de Pepe e do espanhol Iván Marcano, que já teve alta hospitalar, após encarar uma cirurgia a uma lesão pé direito.

Francisco Conceição, lançado no segundo tempo do encontro em Liverpool, sofreu uma lesão na anca esquerda e falhará o encontro com o Vitória de Guimarães, um “clube histórico no país e que tem associada à equipa uma paixão incrível dos adeptos”.

“Focamos essencialmente na nossa equipa, olhando para a valia do adversário. O Vitória é sempre muito difícil de defrontar e apresenta boas individualidades e bons treinadores. Uns anos mais, outros menos, é uma equipa competitiva e exige muito aos adversários que façam bons jogos para ganhar. É dentro desse registo que os esperamos”, avaliou.

Indiferente à possibilidade de os minhotos alinharem com uma defesa a três ou quatro unidades, Sérgio Conceição, que trabalhou em Guimarães em 2015/16, advertiu para um plantel de “individualidades interessantes”, num misto de “experiência e irreverência”.

“O Vitória tem jogado em ‘4-3-3’, com três homens na frente, incluindo dois alas muito capazes de desequilibrar em situações de um para um e um homem na frente que joga bem e é referência para aproveitar essa ligação”.

“O meio campo tem experiência, mas também qualidade técnica, e os laterais são de projecção muito ofensiva”, caracterizou.

O treinador do FC Porto não quis abordar qualquer caso individual, com destaque para o iraniano Mehdi Taremi, distante dos golos há cinco jogos, mas acabou por falar sobre o mexicano Jesús Corona, melhor jogador da I Liga em 2019/10, que nunca mais foi utilizado desde 26 de outubro, na derrota com Santa Clara (1-3) para a Taça da Liga.

“Temos de olhar para o colectivo e o que temos de fazer como equipa num jogo difícil, em vez de entrar nessas questões de pormenor. No fundo, ia dizer o que já disse. O clube também precisa que ele jogue mais tempo e isso é uma questão de trabalho. O Corona faz parte do grupo e tem de se preparar para responder quando for chamado”, concluiu.

ND com Lusa

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade